21 de fevereiro de 2019, 12h04

Damares disse que foi mal interpretada ao propor que pais de meninas “fugissem” do país

"Eu queria dizer é que o Brasil é o pior país do mundo para se criar meninas”, afirmou a ministra na Comissão de Direitos Humanos do Senado

Damares Alves no Senado (Geraldo Magela/Agência Senado)
A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta quinta-feira (21) que foi mal interpretada quando sugeriu, em entrevista à rádio Jovem Pan de João Pessoa, que pais e mães de meninas saíssem do Brasil. Leia também: Damares Alves defende aprovação de proposta de senador petista sobre Estatuto do Cigano  Ela disse que se referia à pesquisa apontando que o Brasil é o pior país da América do Sul para se criar meninas e que o desafio de sua pasta é fazer com que se torne o melhor. “Quando eu falei esta frase fui mal...
A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta quinta-feira (21) que foi mal interpretada quando sugeriu, em entrevista à rádio Jovem Pan de João Pessoa, que pais e mães de meninas saíssem do Brasil.
Ela disse que se referia à pesquisa apontando que o Brasil é o pior país da América do Sul para se criar meninas e que o desafio de sua pasta é fazer com que se torne o melhor. “Quando eu falei esta frase fui mal interpretada, mas eu queria dizer que o Brasil é o pior país do mundo para se criar meninas”, disse a ministra.
“Se eu tivesse que dar um conselho para quem é pai de menina, mãe de menina: foge do Brasil, você está no pior país da América do Sul para criar meninas. E um dos índices que leva a esse resultado é o abuso sexual”, afirmou Damares, na ocasião.
A ministra esteve pela manhã na Comissão de Direitos Humanos do Senado. Ela foi convidada por parlamentares para apresentar as políticas prioritárias da pasta que comanda.
Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.