09 de setembro de 2018, 13h13

Damous: Falas de Villas Boas são inaceitáveis e ilegais

Em qualquer país em que vigore uma Constituição, o General seria exonerado. Trata-se, na pratica, de uma intervenção militar na política. Querem tutelar as eleições e garantir a vitória do candidato nazifascista", escreveu Wadih Damous em seu Twitter.

Em seu perfil no Twitter, o deputado federal Wadih Damous criticou as declarações do general Eduardo Villas Boas, comandante das Forças Armadas, sobre a candidatura Lula.

Villas Boas, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, Villas Boas declarou que “O pior cenário é termos alguém sub judice, afrontando tanto a Constituição quanto a Lei da Ficha Limpa, tirando a legitimidade, dificultando a estabilidade e a governabilidade do futuro governo e dividindo ainda mais a sociedade brasileira. A Lei da Ficha Limpa se aplica a todos”.

“As declarações do General Vilas Boas são inaceitáveis porque ilegais. Em qualquer país em que vigore uma Constituição, o General seria exonerado. Trata-se, na pratica, de uma intervenção militar na política. Querem tutelar as eleições e garantir a vitória do candidato nazifascista”, escreveu o parlamentar em seu Twitter.

O general também contestou a decisão da ONU, que defendeu os direitos políticos de Lula. “É uma tentativa de invasão da soberania nacional. Depende de nós permitir que ela se confirme ou não. Isso é algo que nos preocupa, porque pode comprometer nossa estabilidade, as condições de governabilidade e de legitimidade do próximo governo”, afirmou.