14 de abril de 2018, 17h36

David Harvey, um dos mais renomados antropólogos do mundo, pede liberdade a Lula

Outros intelectuais de peso já se posicionaram contra a prisão política do ex-presidente Lula. Entre eles, o sociólogo espanhol Manuel Castells e o professor da Universidade de Coimbra Boaventura de Sousa Santos.

Foto: BRADO-NY

O professor de antropologia da pós-graduação da Universidade da Cidade de Nova York (The City University of New York – Cuny) David Harvey manifestou sua solidariedade ao ex-presidente Lula, preso há uma semana na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba. Harvey aparece em uma foto segurando um cartaz escrito a mão onde pede liberdade para o petista.

Harvey é um dos marxistas mais influentes da atualidade, reconhecido internacionalmente por seu trabalho de vanguarda na análise geográfica das dinâmicas do capital. Seu livro Condição pós-moderna (Loyola, 1992) foi apontado pelo Independent como um dos 50 trabalhos mais importantes de não ficção publicados desde a Segunda Guerra Mundial.

Além de Harvey, outros intelectuais de peso já se posicionaram contra a prisão política do ex-presidente Lula. Entre eles, o sociólogo espanhol Manuel Castells e o professor da Universidade de Coimbra Boaventura de Sousa Santos.  “A sua simplicidade, querido Presidente, é tão grande que os seus algozes subestimaram a grandeza que ela transporta. Já eram pequenos agora são minúsculos e assim ficarão para a história, a historia em que o senhor já brilha e brilhará”, escreveu Santos em carta para Lula.