Imprensa livre e independente
26 de abril de 2019, 12h04

Defensoria processa em R$ 100 mil ex-conselheiro do Santos por frases racistas

Adilson Durante Filho, que também era secretário-adjunto de Turismo de Santos (SP), afirmou, entre outras frases racistas, que “os pardos brasileiros são todos mau-caráter”

Reprodução/YouTube
A defensoria pública do Estado de São Paulo processou o ex-conselheiro do Santos F.C. e ex-secretário adjunto de Turismo de Santos, Adilson Durante Filho (PSD-SP), por declarações racistas em um áudio que circulou em aplicativos de mensagens. O órgão pede indenização de R$ 100 mil, revertidos a ações de combate ao racismo. No áudio, Durante Filho afirma que é preciso “desconfiar” de pardos. “São todos mau-caráter”, diz ele, que admitiu ser o responsável pelas palavras, “de alguns anos atrás”. A ação foi distribuída para a 5ª Vara Cível de Santos, e Durante Filho ainda não foi notificado. Relembre o caso: Adilson Durante...

A defensoria pública do Estado de São Paulo processou o ex-conselheiro do Santos F.C. e ex-secretário adjunto de Turismo de Santos, Adilson Durante Filho (PSD-SP), por declarações racistas em um áudio que circulou em aplicativos de mensagens. O órgão pede indenização de R$ 100 mil, revertidos a ações de combate ao racismo.

No áudio, Durante Filho afirma que é preciso “desconfiar” de pardos. “São todos mau-caráter”, diz ele, que admitiu ser o responsável pelas palavras, “de alguns anos atrás”.

A ação foi distribuída para a 5ª Vara Cível de Santos, e Durante Filho ainda não foi notificado.

Relembre o caso:

Adilson Durante Filho teve um áudio de uma conversa de WhatsApp divulgada, no último dia 17, pelo programa Sucupira Conection, da Rádio da Vila. Nela, Adilson, que também é conselheiro e foi diretor de futebol do Santos Futebol Clube, afirma, entre outras frases racistas, que “os pardos brasileiros são todos mau-caráter”.

Veja a transcrição completa do áudio abaixo:

“Ô Caco, vou falar uma coisa pra vocês, aqui a gente tá entre amigos, tá? Sempre que tiver um pardo, o pardo o que que é, não é aquele negão, né? Mas também não é o branquinho. É o moreninho da cor dele. Esses caras, têm que desconfiar de todos. Todos que tu conhecer. Essa cor é uma mistura de uma raça que não tem caráter. É verdade, isso é estudo. Todo pardo, todo mulato, tu tem que tomar cuidado. Não mulato tipo o Pedro. O Pedro é tipo pra índio. Tipo chileno, essas porra (SIC). Tô dizendo o mulato brasileiro, entendeu? Os pardos brasileiros são todos mau-caráter. Não tem um que não seja.”

Logo após a divulgação do áudio, Durante pediu exoneração do cargo de secretário-adjunto de Turismo da Prefeitura de Santos. Ele também renunciou ao cargo de conselheiro do Santos F.C., onde já foi também diretor de futebol.

Veja também:  Editorial d'O Globo diz que "estilo de governar pelo confronto" de Bolsonaro "não dará certo na democracia"

A ação foi distribuída para a 5ª Vara Cível de Santos, e Durante Filho ainda não foi notificado.

Com informações do Globo Esporte

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum