Defesa de Lula ainda tenta que recurso seja julgado nesta terça-feira | Revista Fórum
25 de junho de 2018, 19h42

Defesa de Lula ainda tenta que recurso seja julgado nesta terça-feira

Advogados do ex-presidente Lula pediram ao ministro Edson Fachin, que o pedido de liberdade seja julgado na sessão da Segunda Turma desta terça

Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

A equipe de advogados de Lula solicitou ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, que o pedido de liberdade seja, de fato, julgado na sessão deta terça-feira (26) da Segunda Turma da Corte, conforme estava previsto até sexta-feira (22). A defensa do ex-pesidente pede, ainda, que Fachin reconsidere decisão que rejeitou analisar o caso, de acordo com reportagem de André Richter, da Agência Brasil.

Neste novo pedido, a defesa alega que Lula está preso ilegalmente há 80 dias e pede urgência no julgamento. “O dano concreto que se objetiva cessar é dirigido à liberdade do Agravante, custodiado na Superintendência Regional da Polícia Federal em Curitiba há 80 dias, mesmo a liberdade sendo bem jurídico de primeira importância em qualquer Estado Democrático de Direito”, ressaltam os advogados.

Na sexta-feira (22), Fachin rejeitou o pedido protocolado pela defesa de Lula para aguardar em liberdade o julgamento de mais um recurso contra a condenação na Operação Lava Jato. Com a decisão, Lula segue preso. O ministro do STF definiu por ssa estratégia depois que a vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF 4), Maria de Fátima Freitas Labarrère, rechaçou pedido para que a condenação a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do triplex em Guarujá (SP), um dos processos da operação, fosse analisado pela Corte.