ASSISTA
20 de junho de 2016, 13h56

Delator afirma que Odebrecth teria comprado banco para lavar dinheiro de corrupção

Transação teria acontecido em 2010. Dinheiro que passava pelo banco era usado para pagar propina Por Redação O executivo Vinicius Borin foi apontado pela força tarefa da Lava-Jato como um dos operadores do “departamento de Propinas” da Odebrecth. Borin trabalhava na área comercial do Antiqua Oversea Banks (OAB), que foi adquirido pela empreiteira em 2010. […]

Transação teria acontecido em 2010. Dinheiro que passava pelo banco era usado para pagar propina

Por Redação

O executivo Vinicius Borin foi apontado pela força tarefa da Lava-Jato como um dos operadores do “departamento de Propinas” da Odebrecth. Borin trabalhava na área comercial do Antiqua Oversea Banks (OAB), que foi adquirido pela empreiteira em 2010.

Segundo o delator, US$ 132 milhões teriam passado pelo banco através de transferências “suspeitas”. A compra do banco foi realizada mediante a participação de alguns executivos da Odebrecth como Olivio Rodrigues Júnior, que está preso e é investigado na Lava-Jato, Fernando Migliacco, que está preso na Suíça, e Luiz Eduardo Soares, que também cumpre prisão preventiva.

Os executivos, que são apontados como organizadores do esquema, sugeriram que Borin deixasse o país quando as investigações da Lava-Jato se intensificaram.

A Odebrecth informou que não vai se pronunciar sobre o assunto.

Foto: Divulgação