17 de dezembro de 2018, 16h36

Delegada insinua que poderes de João de Deus danificaram equipamentos na delegacia

A própria delegada Karla Fernandes disse que, na hora do depoimento, o computador parecia ter vida própria: "Você apertava uma tecla e ela OOOOOOOOO...", descreveu

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

De acordo com texto do repórter Fábio Fabrini, publicado na Folha, nesta segunda-feira (17), o depoimento de João de Deus, 76, na noite deste domingo (16), em Goiânia, teve uma sequência de fatos estranhos e imprevistos. Por conta disto, tanto a delegada quanto os investigadores ficaram desconfiados.

Na hora de o médium falar, segundo os presentes, o computador usado para registrar as alegações do preso parecia ter vida própria.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

A própria delegada Karla Fernandes disse que, na hora do depoimento: “você apertava uma tecla e ela OOOOOOOOO…”, descreveu.

A delegada resolveu usar uma extensão para ligar o ar-condicionado, mas o fio explodiu e, de quebra, queimou o frigobar. “Todo mundo gritou dentro da sala”, disse.

Outro fato estranho foi a transferência da oitiva, que estava marcada para ocorrer em Anápolis, mas o escrivão que iria acompanha-la foi atropelado na BR-060, a caminho da delegacia, e quebrou o braço. O depoimento foi transferido para Goiânia.

Para a delegada, os episódios podem não ser só obra do acaso. “Estamos diante de uma situação que envolve crenças e energias”. Ela disse ainda que não estava com medo: “não, mas tenho respeito, até porque sou espiritualista”. Ela classifica João de Deus como um homem que tem, de fato, “um poder”.

“Mas houve um desvio no meio do caminho”, disse a delegada.

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais