Imprensa livre e independente
06 de outubro de 2017, 10h46

Delegado da Polícia Civil atira na mulher e se mata depois no Rio

Antes de tirar a própria vida, Raimundo Gonçalves chegou a manter a esposa como refém, depois de uma discussão.

Antes de tirar a própria vida, Raimundo Gonçalves chegou a manter a esposa como refém, depois de uma discussão. Da Redação Depois de uma discussão, um delegado da Polícia Civil atirou em sua mulher e se matou no Pechincha, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Raimundo Gonçalves era lotado na 64ª DP (São João de Meriti). O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi chamado ao local, mas a ocorrência foi assumida pela Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). Segundo comunicado da Polícia Militar pelo Twitter, o delegado chegou a fazer a esposa refém antes de se matar. Durante a...

Antes de tirar a própria vida, Raimundo Gonçalves chegou a manter a esposa como refém, depois de uma discussão.

Da Redação

Depois de uma discussão, um delegado da Polícia Civil atirou em sua mulher e se matou no Pechincha, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Raimundo Gonçalves era lotado na 64ª DP (São João de Meriti). O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi chamado ao local, mas a ocorrência foi assumida pela Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). Segundo comunicado da Polícia Militar pelo Twitter, o delegado chegou a fazer a esposa refém antes de se matar.

Durante a negociação, o Corpo de Bombeiros conseguiu retirar a esposa do local. Ferida com dois disparos na perna esquerda, Rafaela Monerat Sampaio, de 33 anos, foi encaminhada para o Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. O estado de saúde da vítima é estável.

Após horas de conversa com agentes do Core, o delegado tirou a própria vida com um disparo. Agentes da Delegacia de Homicídios (DH) fizeram perícia e vão coletar informações na residência do casal.

Veja também:  Taiwan é o primeiro país da Ásia a legalizar casamento entre pessoas do mesmo sexo

*Com informações de O Dia

 Foto: Reprodução/Facebook

 

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum