Imprensa livre e independente
18 de março de 2018, 16h03

Delegado é afastado por postagem ofensiva nas redes contra Marielle Franco

As declarações foram publicadas por Jorge Ferreira em uma rede social; ele desmente e diz que houve fraude: “Quando eu saí da rede social eu vi que tinham vários aparelhos logados na minha conta e eu nem sabia”

As declarações altamente ofensivas foram desmentidas pelo delegado Jorge Ferreira – Foto: Reprodução/Redes Sociais Secretaria de Defesa Social (SDS) agiu rápido de divulgou uma nota oficial, no final da manhã deste domingo (18), informando o afastamento do delegado Jorge Ferreira do plantão da Delegacia da Mulher. A iniciativa, segundo o Diário de Pernambuco, foi tomada em função das declarações desequilibradas postadas pelo policial, em uma rede social, a respeito do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ). Paradoxalmente, até u mês atrás ele dava plantões na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, Pernambuco. Segundo a nota, o conteúdo da postagem foi...

As declarações altamente ofensivas foram desmentidas pelo delegado Jorge Ferreira – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Secretaria de Defesa Social (SDS) agiu rápido de divulgou uma nota oficial, no final da manhã deste domingo (18), informando o afastamento do delegado Jorge Ferreira do plantão da Delegacia da Mulher. A iniciativa, segundo o Diário de Pernambuco, foi tomada em função das declarações desequilibradas postadas pelo policial, em uma rede social, a respeito do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ). Paradoxalmente, até u mês atrás ele dava plantões na Delegacia da Mulher de Santo Amaro, Pernambuco.

Segundo a nota, o conteúdo da postagem foi encaminhado à Corregedoria Geral da SDS, que começou uma investigação preliminar, na qual o servidor terá direito à ampla defesa e ao contraditório. “Até a conclusão do procedimento administrativo, o servidor ficará à disposição do setor de recursos humanos da PCPE”, diz o texto.

Ainda de acordo com a nota, o teor das afirmações é incompatível com o posicionamento do Governo, da Secretaria de Defesa Social e da Polícia Civil, “que prezam e focam todos os seus esforços na preservação da vida, proteção dos cidadãos, tolerância e paz social”. O texto é assinado pelo Governo do Estado de Pernambuco, Secretaria de Defesa Social de Pernambuco e Polícia Civil de Pernambuco.

Veja também:  Paulo Pimenta entra no MP contra realizadores do desfile de crianças para adoção em Cuiabá

Também foi por meio das redes sociais que o delegado Jorge Ferreira resolveu se defender sobre o assunto. Em um vídeo com cerca de dez minutos, o delegado disse não ter sido o autor da postagem. “Fui informado por um amigo sobre a publicação. Quando eu saí da rede social eu vi que tinham vários aparelhos logados na minha conta e eu nem sabia. Tinha inclusive um no Crato, mas eu nunca estive lá. Eu saí imediatamente de todos, mas não sei como postaram isso”, argumentou.

Ainda no vídeo, o delegado disse defender que antes das acusações sejam realizadas as investigações. “Eu tenho posturas políticas muito claras, todo mundo sabe. Eu sou a favor da lei, da ordem, do trabalho bem executado. O que eu venho postando e replicado é para fomentar a discussão porque defendo a ideia de que antes de se acusar se apure. Mal aconteceu o homicídio e já se começou a acusar a Policia Militar. Eu defendo que não, que seria interessante antes ver todas as possibilidades, diz.

Veja também:  “Bolsonaro é como o imperador Nero: incendeia todo o país”, afirma Lula

“A Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (ADEPPE), por sua vez, divulgou uma nota afirmando que o post não é de autoria do referido delegado. “Jorge Ferreira é um profissional responsável e extremamente dedicado à missão a que foi incumbido, na defesa dos direitos da mulher. Aqueles que o conhecem minimamente sabem que Jorge possui um temperamento completamente incompatível com o conteúdo chulo e grosseiro do texto publicado”, diz o texto. Por fim, a associação disse estar apurando como se deu a fraude, se por meio de uma conta falsa ou se houve invasão da conta do delegado.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum