05 de maio de 2018, 10h33

Depois da humilhação, Leonardo Boff finalmente é autorizado a visitar Lula

Teólogo sentou-se em frente à sede da Polícia Federal na tentativa de visitar o ex-presidente no mês passado e, diante da negativa, protagonizou uma imagem que rodou o mundo

Foto: Eduardo Matysiak

O teólogo Leonardo Boff, depois da humilhação a que foi submetido no dia 19 de março ao ser impedido de visitar o ex-presidente Lula na sede da Polícia Federal em Curitiba (PR), finalmente conseguiu autorização para fazer a visita ao seu velho amigo.

“Negaram a minha humanidade e a humanidade do Lula”, afirmou Boff em sua primeira tentativa. Diante da negativa da Justiça, sentou-se em frente ao prédio da PF e protagonizou uma imagem, registrada pelo fotógrafo Eduardo Matysiak, que rodou o mundo.

Nesta quinta-feira (3), no entanto, a Polícia Federal acertou com a defesa de Lula que o petista poderia receber a visita do teólogo de 79 anos nesta segunda-feira (7) como uma “assistência religiosa”. No mesmo dia, depois de autorização da juíza Carolina Lebbos, a PF também negociou com a defesa de Lula uma visita de amigos às quintas-feiras, dividindo o espaço e o número de pessoas com a família do ex-presidente.

Leiam também
Leonardo Boff: “Estive preso e me impediram de visitar-te”