Imprensa livre e independente
09 de fevereiro de 2018, 21h27

Depois de fazer a população “pagar o pato”, Fiesp lançará campanha de “engolir o sapo”

Depois de incentivar as pessoas a ir às ruas contra o aumento de impostos mas fazer essa mesma população “pagar o pato” após o impeachment, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo lançará uma campanha com sapos infláveis contra o aumento dos juros Por Redação Em 2016, com patos gigantes infláveis pelas ruas do país e estampados em capas de jornal, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) levou milhares de pessoas às ruas contra o aumento de impostos e pelo impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff. O resultado todos já sabem: após o impeachment, o que...

Depois de incentivar as pessoas a ir às ruas contra o aumento de impostos mas fazer essa mesma população “pagar o pato” após o impeachment, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo lançará uma campanha com sapos infláveis contra o aumento dos juros

Por Redação

Em 2016, com patos gigantes infláveis pelas ruas do país e estampados em capas de jornal, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) levou milhares de pessoas às ruas contra o aumento de impostos e pelo impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff.

O resultado todos já sabem: após o impeachment, o que se viu foram aumentos e mais aumentos de impostos no governo Temer – principalmente no gás de cozinha e nos combustíveis.Ou seja, quem “pagou o pato” da campanha foi a própria população.

Agora, a mesma federação tem planos de lançar uma nova campanha, desta vez com um sapo. Sob o mote de “Chega de engolir sapos’, a entidade quer reivindicar a baixa dos juros.

De acordo com a coluna de Mônica Bergamo, a estreia do sapo inflável deve acontecer na mesma avenida Paulista que se tornou, por meses, o lar de um pato gigante.

Veja também:  Bancada do PT pede ao TCU apuração da viagem de Bolsonaro e ministros a Dallas

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum