Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

29 de março de 2019, 15h29

Deputado apresenta projeto para criminalizar apologia à ditadura militar

Márcio Jerry (PCdoB-MA) propõe que apologia à ditadura seja considerado crime com pena de detenção, de três a seis meses, ou multa

Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

Na semana em que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) manteve sua cabeça em 1964 esquecendo-se do Brasil de 2019, e o debate em torno da #DitaduraNuncaMais ganhou espaço nas redes sociais, o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) apresentou projeto de lei (PL 1798/2019) para criminalizar a apologia ao retorno da ditadura militar, tortura ou a pregação de rupturas institucionais.

“Ficamos apreensivos quando vemos o presidente da República e o autoridades de seu governo virem à público autorizar e defender que se comemore o golpe civil-militar de 1964”, criticou o parlamentar.

Leia também
Carta assinada por Buarque, Wyllys e Nobel da Paz pede que STF proíba comemorações do golpe

Segundo Jerry o regime que se instaurou em 64 praticou crimes comparáveis ao fascismo e ao nazismo, cuja apologia é proibida em incontáveis países – entre os quais o Brasil e a própria Alemanha.

“A democracia e o Estado de Direito não combinam com a apologia a crimes pretéritos enquanto pregam crimes futuros”, apregoa o congressista. O projeto de lei sentencia que a apologia à ditadura pode acarreta em detenção, de três a seis meses, ou multa.

Veja também:  Ex-PGR, Claudio Fonteles, sobre Moro e Dallagnol: “não representam a magistratura nem o MPF”

O projeto foi apresentado à Câmara e aguarda despacho dos técnicos da Casa para começar a tramitar nas comissões.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum