Deputado Nelson Marquezelli nega pedido de bloqueio do canal da Fórum ao Youtube | Revista Fórum
06 de junho de 2018, 16h17

Deputado Nelson Marquezelli nega pedido de bloqueio do canal da Fórum ao Youtube

Plataforma de vídeos puniu e censurou transmissões ao vivo da Fórum, alegando ter recebido denúncias sobre o vídeo publicado do parlamentar

(Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

O deputado Nelson Marquezelli (PTB/SP) negou que tenha feito ao Youtube qualquer pedido de bloqueio ao canal da Revista Fórum na plataforma. O parlamentar ainda destacou que “abomina qualquer tipo de censura à liberdade de imprensa”.

O canal da Fórum no Youtube foi censurado por conta da publicação de um vídeo onde o deputado aparece de pijama. No vídeo, Marquezelli fala em apoio à greve dos caminhoneiros, de camisa e gravata, mas há um tampo de vidro na mesa. Publicado pelo próprio parlamentar, a imagem viralizou. Fórum apenas noticiou a “gafe” sem qualquer ataque à imagem do parlamentar.

Em nota, o deputado frisa ainda que não ficou sequer “chateado” com a publicação do vídeo. Diante da negativa do parlamentar fica difícil entender a censura aplicada pelo Youtube ao canal da Fórum. Segundo o Youtube havia denúncias de que a publicação estava violando as diretrizes da rede. Se o próprio Marquezelli não se incomodou com a publicação, quem estaria incomodado?

A Fórum está proibida de fazer transmissões ao vivo até o dia 27 de agosto de 2018, segundo punição do Youtube. Por conta disso, o programa “Fórum Onze e Meia”, exibido ao vivo diarimente, está sendo publicado apenas no Facebook. O programa traz análises políticas do editor da Fórum, Renato Rovai, e entrevistas com diversos especialistas e políticos. Já foram entrevistados, por exemplo, o pré-candidato à presidência pelo PSOL, Guilherme Boulos, o ex-presidente do Ipea Marcio Pochmann, a professora especialista em Segurança Pública da UFF Jacqueline Muniz, o cineasta Pablo Villaça e o ex-ministro dos governos Lula e Dilma, Ricardo Berzoini, entre outros.

Leia a seguir a nota do deputado Nelson Marquezelli enviada à Fórum