COMPRE JÁ
15 de Março de 2018, 15h23

Deputados promovem ato na Câmara e cobram agilidade na apuração do assassinato de Marielle

Parlamentares do PSOL, do PT, do PSB, do PCdoB, da Rede e do DEM, segurando girassóis, acompanharam a sessão solene no plenário

Os parlamentares promoveram um ato em homenagem à vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio de Janeiro – Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Um ato na Câmara dos Deputados, na manhã desta quinta-feira (15), homenageou a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada na noite de anterior, no Rio de Janeiro. Os deputados, de acordo com Fernanda Calgaro, do G1, caminharam em direção ao Plenário da Câmara, onde houve uma sessão solene. Segurando girassóis, parlamentares do PSOL, do PT , do PSB, do PCdoB, da Rede e do DEM acompanharam a sessão solene no plenário, comandada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Uma grande faixa preta com os dizeres “Marielle, presente! Anderson, presente! Transformar luto em luta!” foi estendida.

A primeira a discursar foi a deputada federal Luiza Erundina (PSOL-SP). “Todos se sentiram morrendo um pouco no dia de ontem. Não vão conseguir calar a voz da Marielle, que vai se reproduzir aos milhares e aos milhões, junto com a voz de outras vítimas”, afirmou.

Da tribuna, o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) também lamentou o assassinato da vereadora e cobrou de Maia a votação de um projeto de lei para coibir o abuso de autoridade. Seguinte a falar, o líder do PSB, deputado Júlio Delgado (MG), exigiu uma apuração rápida do crime. “A quem interessa essa execução? Vamos exigir e ficaremos de vigília para que a apuração desse caso aconteça o mais rapidamente possível”, afirmou.

A deputada Jô Moraes (PCdoB-MG) disse que o plenário lotado da Câmara na sessão solene era “a expressão da indignação do povo brasileiro”. O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) entregou a Rodrigo Maia um pedido de criação de uma comissão externa da Câmara para acompanhar as investigações do assassinato. “As ideias são à prova de bala”, discursou.