05 de julho de 2018, 06h53

Desgaste de Alckmin é irreversível, avalia “centrão” político; Ciro Gomes é alternativa

Uma pesquisa interna do DEM apontou que a rejeição a Alckmin chega a 60% enquanto a de Lula atinge no máximo 52%

O pré-candidato à presidência do PSDB, Geraldo Alckmin, esteve reunido com integrantes da cúpula do DEM, PP, PRB, SD e PSC em um jantar na noite desta quarta-feira (4) e a impressão deixada não foi das melhores. No cardápio, Alckmin argumentou que tem chances de decolar com o tempo de televisão que vai dispor na propaganda política e que já tem um leque de alianças construído. Mas o “centrão”, como é chamado o bloco formado por estes partidos, saiu da mesa sem degustar o menu oferecido pelo ex-governador.

Uma pesquisa interna do DEM apontou que a rejeição a Alckmin chega a 60% enquanto a de Lula atinge no máximo 52%. Para a cúpula política, o desgaste do ex-governador é irreversível. O DEM já admite pular do barco tucano para mergulhar na candidatura de Ciro Gomes (DEM).

Cabe a Rodrigo Maia convencer os caciques de outros partidos do centrão e os eleitores de que uma mudança de trajetória para uma candidatura de centro-esquerda é a melhor alternativa política para as eleições de 2018.

Alckmin argumentou que já tem fechada alianças com PV, PTB, PSD e PPS e que tem as melhores propostas para convencer a população, mas os líderes dos partidos presentes à mesa não demonstraram ânimo.

O centrão deve decidir o rumo da regata com destino às eleições de outubro entre os dias 16 e 20 de julho.