14 de novembro de 2018, 22h04

Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil e pede respeito

“Com dignidade, profunda sensibilidade, profissionalismo, entrega e altruísmo, os colaboradores cubanos prestaram um valioso serviço ao povo do Brasil”, tuitou o presidente de Cuba

Foto: Reprodução/YouTube

Miguel Díaz-Canel, presidente de Cuba, classificou de digno, profissional e altruísta o trabalho desenvolvido por profissionais de saúde cubanos no Programa Mais Médicos, no Brasil. As autoridades cubanas anunciaram nesta quarta-feira (14) que deixarão o programa, em função de declarações de Jair Bolsonaro em tom de ameaça e anunciando mudanças no projeto. As informações são da Agência Brasil.

O presidente usou sua conta no Twitter para mensagem de apoio aos médicos de seu país. Ele pediu respeito e defendeu os serviços de seus especialistas. “#Mais Médicos Com dignidade, profunda sensibilidade, profissionalismo, entrega e altruísmo, os colaboradores cubanos prestaram um valioso serviço ao povo do #Brasil. Atitudes com tal dimensão humana devem ser respeitadas e defendidas. #SomosCuba”, tuitou Díaz-Canel.

Em nota, o Ministério de Saúde Pública de Cuba explicou que a saída do programa já foi comunicada à diretoria da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e aos líderes políticos brasileiros que idealizaram o Mais Médicos, que proporcionava serviços de saúde à população pobre do Brasil.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você não pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais