15 de março de 2018, 11h59

Dilma: “Tristes dias para o país onde uma defensora dos direitos humanos é brutalmente assassinada”

Ex-presidenta lamentou a execução da vereadora e de seu motorista e cobrou a solução do caso: “As mortes precisam ser apuradas com o rigor da lei”

Dilma Rousseff: “Estou profundamente chocada, estarrecida e indignada. Espero que as investigações apontem os responsáveis por este crime abominável” – Foto: Lula Marques/Agência PT

A ex-presidenta Dilma Rousseff divulgou nesta quinta-feira (15), uma nota na qual lamenta, condena e cobra providências a respeito do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista que estava com ela, Anderson Pedro Gomes. Acompanhe a íntegra da nota:

“Lamento e repudio a morte da ativista Marielle Franco, vereadora pelo PSOL, e de Anderson Pedro Gomes, seu motorista. Um ato covarde praticado contra uma lutadora social incansável. As circunstâncias dessas mortes –  baleados dentro do carro, no Centro do Rio – são absolutamente chocantes e podem indicar que foram executados. Estou profundamente chocada, estarrecida e indignada. Espero que as investigações apontem os responsáveis por este crime abominável. As mortes violentas de Marielle e de Anderson precisam ser apuradas com o rigor da lei. Tristes dias para o país onde uma defensora dos direitos humanos é brutalmente assassinada. Ela lutava por tempos melhores, como todos nós que acreditamos no Brasil. Devemos persistir e resistir nesse caminho. Minha solidariedade e votos de pesar às famílias de Marielle e Anderson, seus companheiros e amigos, também aos militantes do PSOL. Suas mortes não serão em vão”.

Dilma Rousseff
Presidenta eleita do Brasil