07 de novembro de 2018, 16h13

Discurso de Fernanda Lima em Amor & Sexo é interpretado como desafio a Bolsonaro

"Vamos sabotar as engrenagens desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino”, disse a apresentadora

Foto: Reprodução TV Globo

O programa Amor & Sexo, da Rede Globo, que foi ar nesta terça-feira (6), teve o seu episódio encerrado pela apresentadora Fernanda Lima com um contundente discurso feminista. A fala, que causou polêmica nas redes, foi interpretada como um desafio ao governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Fernanda Lima convocou audiência e auditório a “sabotar as engrenagens desse sistema de opressão. Vamos sabotar as engrenagens desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino”, disse.

Veja o vídeo abaixo no link compartilhado pela deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB).

“Chamam de louca a mulher que desafia as regras e não se conforma. Chamam de louca a mulher cheia de erotismo, de vida e de tesão. Chamam de louca a mulher que resiste e não desiste. Chamam de louca a mulher que diz sim e a mulher que diz não. Não importa o que façamos nos chamam de louca. Se levamos a fama, vamos sim deitar na cama. Vamos sabotar as engrenagens desse sistema de opressão. Vamos sabotar as engrenagens desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino. Vamos jogar na fogueira as camisas de força da submissão, da tirania e da repressão. Vamos libertar todas nós e todos vocês. Nossa luta está apenas começando. Prepare-se porque essa revolução não tem volta. Bora sabotar tudo isso?”

Homenagem à Marielle

Foto: Reprodução TV Globo

O programa contou também com as participações da irmã e da viúva de Marielle Franco, Anielle Franco e Mônica Benício.

“Minha companheira de luta não está mais aqui comigo. Esse lugar de fala que ela ocupava, a gente está tentando dar conta”, afirmou Anielle.

“Ela era temida pelo mesmo motivo que era muito amada: Marielle carregava no corpo dela todas as pautas que lutava e acreditava”, ressaltou Mônica.

Ao final, elas seguraram placas com a frase “Marielle Presente”.

Djamila Ribeiro

O programa Amor e Sexo passou por reformulação nesta nova temporada. Entre elas, a abordagem de pautas mais sérias e controversas.

A filósofa e ativista feminista Djamila Ribeiro, autora dos livros “Quem tem medo do feminismo negro?” (Companhia das Letras) e “O que é lugar de fala?” (Letramento), que concorre ao prêmio Jabuti deste ano na categoria Humanidades, foi contratada como consultora de conteúdo.

A partir de outubro, no entanto, Djamila passou a fazer parte da bancada, ao lado de Mariana Santos, José Loreto, Eduardo Sterblitch, Dudu Bertholini e Regina Navarro Lins.

Perguntada sobre as questões que serão abordadas no programa, Djamila disse: “Existem várias possibilidades de amor. Há desde as pessoas que vivem o poliamor até as que não fazem sexo por opção. No programa, ampliamos discussões sobre LGBTfobia, casamento gay, temas ainda cercados de muito preconceito. O “Amor & sexo” vai levar diferentes formações familiares ao palco para mostrar que nada disso é coisa de outro mundo. Falamos ainda sobre aborto, feminicídio, até a diferença entre amor e um relacionamento abusivo”.