05 de abril de 2018, 14h33

Do Edifício da Fé à cúpula da Câmara

Perguntar não ofende: a Secretaria de Comunicação Social (SECOM) da Câmara dos Deputados, tão importante quanto necessária para a transparência do legislativo federal na República, foi entregue à coordenação do Deputado Márcio Marinho (PRB-BA) ou à Igreja Universal?

Foto: Roberto Vianna

A Secretaria de Comunicação Social (SECOM) da Câmara dos Deputados é coordenada pelo Deputado Márcio Marinho.

O Secretário de Comunicação Social tem como atribuição chefiar os processos que tornam as ações do legislativo federal acessíveis ao público por meio das suas emissoras de rádio e TV, portal da internet e serviços de relações públicas.

Quem é o nobre deputado na “fila do pão”?

Começou como apresentador de programas de rádio AM na Região dos Lagos no Rio de Janeiro em 1990. A ascensão admirável ocorreu em 1991 quando passou a apresentar programa na tradicional Rádio Copacabana no coração da cidade do Rio de Janeiro. O estúdio situado no Edifício da Fé na Rua Visconde de Inhaúma, número 37. Aquele grupo de comunicadores populares estavam começando um movimento que foi além de qualquer projeção otimista à época.

Márcio Marinho aumentou o seu poder no grupo de comunicação a que servia e cresceu com ele. Com passagem por Pernambuco, foi parar na Bahia. Diretor de rádio e TV.

Saibam os desavisados que a Câmara presidida por Eduardo Cunha (MDB-RJ) e Rodrigo Maia (DEM-RJ) preza pela meritocracia: a Secretaria de Comunicação Social (SECOM) da Câmara dos Deputados é coordenada por um perito que participou diretamente de um dos projetos mais exitosos no sistema de comunicação brasileiro.

Márcio Marinho (PRB-BA) é de uma coerência política rara. No terceiro mandato na Câmara dos Deputados, seus vínculos partidários obedecem aos seus vínculos sociais. Homem de fidelidade as suas bases. Esteve no PL entre 2001 e 2006; no PR entre 2006 e 2009; e no PRB desde 2009.

O Deputado Márcio Marinho (PRB-BA) é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD). Tudo deve a ela. Embora comunicador, o deputado sabe ser discreto. Sabe que pelo conselho bíblico não é prudente servir a dois senhores. Seu corpo e sua alma pertencem à IURD.

Perguntar não ofende: a Secretaria de Comunicação Social (SECOM) da Câmara dos Deputados, tão importante quanto necessária para a transparência do legislativo federal na República, foi entregue à coordenação do Deputado Márcio Marinho (PRB-BA) ou à IURD?

Caso a SECOM seja uma concessão à IURD, podemos chamar isso de jogo jogado para obtenção de maioria parlamentar?

Tento entender sem ilações precipitadas. Mas lendo a biografia oficial do Deputado Márcio Marinho no Portal da Câmara dos Deputados fico com a impressão de que o plano de poder da IURD está bem encaminhado.

Enquanto alguns supõem que a Igreja Universal possui um forte braço político hoje representado pelo Partido Republicano do Brasil (PRB), outros intuem que o grupo político em questão se serve do aparato eclesiástico. Divirjo de ambas interpretações.

A rede de comunicação universal se serve tanto do aparato religioso quanto do político. O braço esquerdo é a igreja e a estrutura política o direito. Neste caso, o tio do prefeito da cidade do Rio de Janeiro segue o fluxo de concentração de empresas de comunicação. Os meios não são mídias, mas se transformaram no fim.

O que antes era uma estratégia para alcançar novos fiéis transformou-se no próprio Deus.