27 de agosto de 2018, 17h40

Doce Babiy: 20 anos e segunda mãe dos irmãos está há 7 meses presa sem provas

A justiça paulista condenou a única filha mulher de uma auxiliar de limpeza a 5 anos e 4 meses de prisão. Detalhe: sua defesa levou testemunhas, fotos e vídeos para provar que Babiy estava no Guarujá na hora do crime e ela foi condenada mesmo assim. Saiba mais

Reprodução/Facebook

Por Silvia Nascimento, no Mundo Negro

“O cabelo parece”. Essa frase de uma testemunha  a um policial, resultou na prisão da dançarina de 20 anos Bárbara Quirino, a Babiy, confundida como um membro de uma quadrilha assaltante de carros,  em janeiro desse ano, na cidade de São Paulo.

Uma decisão que foi tomada no último dia 10 de agosto, condenou a única filha mulher da auxiliar de limpeza Fernanda Regina Quirino, 38 anos, mãe de mais 5 meninos mais novos, a 5 anos e 4 meses de prisão pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ -SP).  Detalhe: sua defesa levou testemunhas, fotos e vídeos para provar  que Babiy estava no Guarujá na hora do crime e ela foi condenada mesmo assim.

Dança afro, Enem e cartas ao namorado sem resposta

Conversei com Mayara Alves Vieira, 23, formada em Serviço Social, amiga próxima à Babiy e que tem sido fundamental para  movimentar  a opinião pública sobre esse caso. Ela revelou algumas coisas sobre a amiga, que nos leva a refletir que assim como o genocídio, o encarceramento tira do seio familiar e social muitas potencias negras.

Confira nesse vídeo a coreografia genial e os movimentos encantadores e precisos de Babiy.

Continue lendo no Mundo Negro.