01 de junho de 2016, 14h06

Documentário “Aconteceu bem aqui” será exibido em São Paulo

Filme de Camilo Tavares mostra para novas gerações locais emblemáticos da cidade onde militares cometeram atrocidades

Filme de Camilo Tavares mostra para novas gerações locais emblemáticos da cidade onde militares cometeram atrocidades

Por Redação

O Memorial da Resistência  realizará mais uma edição do evento “Sábado Resistente”, no próximo dia 11 (sábado), a partir das 14h, quando será exibido o documentário “Aconteceu bem aqui” do cineasta Camilo Tavares. O projeto é uma parceria da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo com a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo – SMDHC.

O documentário é composto por cinco vídeos, de relatos de resistentes do período da ditadura militar e de hoje. O diretor estará presente, ao lado de Clara Castellano, que é coordenadora do projeto municipal Direito à Memória e Verdade, e de Renato Cymbalista, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (FAU/USP), em uma mesa redonda que trará à tona lembranças do regime militar na cidade ocorridos em lugares emblemáticos da capital.

Existem em São Paulo diversos monumentos públicos que foram palcos de barbáries. A população, no entanto, na maioria das vezes, desconhece esses fatos. Além disso, ainda é muito comum ver militares da ditadura homenageados com seus nomes em ruas e praças. Os filmes resgatam essas memórias.

“As marcas deixadas pela ditadura civil-militar no país não foram somente as que carregaram os que a ela se opuseram. Elas estão também fortemente impressas na relação dos cidadãos com os espaços públicos das suas cidades. No caso da cidade de São Paulo, devido à cultura do medo gerada pelas perseguições políticas, muitos locais públicos deixaram de ser locais de expressão da cidadania, de encontro e da coletividade”, explica Clara Castellano.

Serviço

SÁBADO RESISTENTE

PROGRAMAÇÃO

14h00 – Boas vindas – Kátia Felipini Neves (Memorial da Resistência de São Paulo)
14h30 – Coordenação – Maurice Politi (Núcleo de Preservação da Memória Política)

Mesa Redonda:

Clara Castellano (Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo)

Camilo Tavares (Diretor do projeto “Aconteceu bem aqui” e do documentário “O dia que durou 21 anos”, sobre o período da ditadura civil-militar no Brasil)

Renato Cymbalista (Professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. É doutor em Estruturas Ambientais Urbanas pela mesma Universidade)

Onde: Memorial da Resistência – Largo General Osório, 66 – Luz – Auditório Vitae – 5º andar

Quando: 11/06 (sábado), a partir das 14h