20 de abril de 2018, 21h14

Documentário sobre o impeachment é premiado em festival de cinema da Suíça

"O Processo", de Maria Augusta Ramos, venceu o prêmio de Melhor Longa-Metragem da Competição Internacional do Festival Visions Du Reel; filme estreia no Brasil em maio. Confira a crítica da Fórum

Depois de ser premiado no Festival de Berlim, o documentário “O Processo”, de Maria Augusta Ramos, ganhou nesta sexta-feira (20) o prêmio de Melhor Longa-Metragem da Competição Internacional do Festival Visions Du Reel, na Suíça. A reportagem da Fórum assistiu a uma sessão especial do filme que mostra os bastidores do processo de impeachment contra a ex-presidenta Dilma Rousseff. A estreia nacional é em maio. De forma cronológica, começando pela votação da abertura do processo de impeachment contra Dilma na Câmara dos Deputados em 2016, o documentário mostra os bastidores do processo, com o registro das sessões na Câmara, no...

Depois de ser premiado no Festival de Berlim, o documentário “O Processo”, de Maria Augusta Ramos, ganhou nesta sexta-feira (20) o prêmio de Melhor Longa-Metragem da Competição Internacional do Festival Visions Du Reel, na Suíça.

A reportagem da Fórum assistiu a uma sessão especial do filme que mostra os bastidores do processo de impeachment contra a ex-presidenta Dilma Rousseff. A estreia nacional é em maio.

De forma cronológica, começando pela votação da abertura do processo de impeachment contra Dilma na Câmara dos Deputados em 2016, o documentário mostra os bastidores do processo, com o registro das sessões na Câmara, no Senado, imagens de manifestações pró e contra o impeachment, reuniões da defesa da ex-presidenta e de lideranças do partido e vai até o momento em que o golpe é concretizado e Dilma deixa oficialmente o Palácio do Alvorada.

Uma das principais características do filme é que ele não se utiliza de nenhuma entrevista ou depoimento feito exclusivamente para o filme. A obra se constitui de uma montagem de registro de reuniões, conversas e sessões que partem de uma câmera que faz papel de observadora. Essa característica, no entanto, acaba se tornando a principal essência da obra: a de escancarar a realidade e o que estava por trás do processo de impeachment sem apelar para um discurso partidário ou panfletário.

Confira a crítica completa aqui.