Imprensa livre e independente
09 de dezembro de 2017, 12h07

Doria diz que nunca se apresentou como pré-candidato, “nem no PSDB e nem fora dele”

Em entrevista à Folha publicada neste sábado (9), o prefeito de São Paulo deu inúmeras respostas que negam o seu comportamento nos últimos meses

Em entrevista à Folha publicada neste sábado (9), o prefeito de São Paulo deu inúmeras respostas que negam o seu comportamento nos últimos meses. Veja aqui várias exemplos onde ele manifesta a sua candidatura Da Redação* Ao ser questionado, em entrevista à Folha publicada neste sábado (9), se estaria frustrado com a indicação de Geraldo Alckmin para presidente do PSDB e, muito provavelmente, candidato do partido à presidência, o prefeito de São Paulo, João Doria, disse se sentir feliz. Veja, agosto de 2017 “Me sinto feliz. Primeiro pelo gesto do governador Marconi Perillo [de Goiás] e do senador Tasso Jereissati,...

Em entrevista à Folha publicada neste sábado (9), o prefeito de São Paulo deu inúmeras respostas que negam o seu comportamento nos últimos meses. Veja aqui várias exemplos onde ele manifesta a sua candidatura

Da Redação*

Ao ser questionado, em entrevista à Folha publicada neste sábado (9), se estaria frustrado com a indicação de Geraldo Alckmin para presidente do PSDB e, muito provavelmente, candidato do partido à presidência, o prefeito de São Paulo, João Doria, disse se sentir feliz.

Veja, agosto de 2017

“Me sinto feliz. Primeiro pelo gesto do governador Marconi Perillo [de Goiás] e do senador Tasso Jereissati, que tiveram a grandeza de abrir mão de suas candidaturas [ao comando do partido] em prol de Geraldo Alckmin. E o governador teve grandeza de aceitar. Geraldo Alckmin será aclamado, e eu espero que, na sequência, sua candidatura à Presidência se cristalize”.

Logo em seguida, Doria disse que nunca se apresentou como pré-candidato, nem no PSDB e nem fora dele. “Se houvesse essa obstinação, esse desejo, talvez eu tivesse aceitado o convite para me lançar [à Presidência] por outra legenda. Não fiz. Continuo no PSDB”, disse.

Veja também:  Após atos, rejeição a Bolsonaro sobe cinco pontos e supera aprovação pela primeira vez, mostra pesquisa

UOL, setembro de 2017

“Não há uma frase, uma manifestação minha, uma gravação em que eu tenha admitido que poderia ser ou que era pré-candidato à Presidência”.

Com relação ao fato de fazer viagens pelo Brasil e conversar com lideranças nacionais, Doria disse que “São Paulo é global, a cidade mais brasileira do país, com o maior contingente de nordestinos, nortistas, sulistas fora de suas regiões. Então o fato de fazer viagens, principalmente quando se recebem homenagens, não significa fazer qualquer tipo de pleito”.

Poder 360, Maio de 2017

Disse ainda, sobre a leitura geral de que se comportava como pré-candidato, chegando a ser chamado de traidor por aliados de Alckmin, que está era uma leitura errada. “Nunca houve ruptura nem distanciamento com o Geraldo. Nunca. Nunca. Tenho um grande respeito por ele, por sua trajetória, biografia, decência, honestidade”.

Meu candidato à Presidência da República pelo PSDB é Geraldo Alckmin. Vou dizer isso na convenção inclusive.

Neste vídeo, de setembro de 2017, ao ser pego de surpresa, Doria admite ser candidato a presidente para, logo em seguida, negar

Ele agora estaria lutando para ser o candidato tucano ao governo de São Paulo. Questionado, repete: “Meu foco é a Prefeitura de São Paulo”. Sem, no entanto, descartar a ideia de forma taxativa.

Veja também:  Paulo Guedes ameaça sair do Brasil se reforma da Previdência que defende não for aprovada

*Com informações da Folha

 

 

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum