13 de outubro de 2018, 09h51

Doria viaja ao Rio para gravar vídeo com Bolsonaro, mas não é recebido

Tucano deixou o local dizendo que os planos mudaram devido ao fato de Bolsonaro ter se sentido indisposto, porém, ao mesmo tempo, o capitão reformado fazia uma transmissão ao vivo nas redes sociais.

Montagem/Divulgação

Após causar uma cisão no PSDB por anunciar apoio a Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno da disputa presidencial, o ex-prefeito de São Paulo e candidato tucano ao governo do Estado, João Doria, viajou até o Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (12) com a intenção de gravar um vídeo com o capitão da reserva, mas acabou nem ao menos sendo recebido.

“Não tem nenhum encontro marcado entre os dois não. Existe uma conversa institucional no sentido de o PSL agradecer ao apoio que gentilmente está sendo oferecido pelo candidato João Doria em São Paulo a Jair Bolsonaro”, afirmou o presidente do PSL, Gustavo Bebianno.

A informação do encontro dos dois foi divulgada pela assessoria de Doria. Os dois se encontrariam às 17h30 na casa de Paulo Marinho, polêmico empresário carioca que tentou articular a candidatura de Dória ao Planalto, se aproximou de Bolsonaro e agora tem a casa como bunker para gravação dos programas do capitão.

Doria deixou o local dizendo que os planos mudaram devido ao fato de Bolsonaro ter se sentido indisposto, porém, ao mesmo tempo, o capitão reformado fazia uma transmissão ao vivo nas redes sociais.