27 de novembro de 2018, 07h16

É bobagem pensar na democratização da universidade, diz ministro da educação de Bolsonaro

Para Vélez Rodriguez, "nem todo mundo quer fazer uma universidade" e o aluno tem que sair do segundo grau com conhecimento para "ganhar dinheiro", como os "youtubers".

Reprodução

O colombiano Ricardo Vélez Rodríguez, futuro ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro (PSL), afirmou que “nem todo mundo quer fazer uma universidade”, durante evento em Londrina, quando foi homenageado por diretores da faculdade particular Positivo, onde leciona. O aluno tem que sair do segundo grau pronto para o mercado de trabalho. Nem todo mundo quer fazer uma universidade. É bobagem pensar na democratização da universidade, nem todo mundo gosta”, afirmou.

Segundo ele, o aluno tem que sair do segundo grau com conhecimento para “ganhar dinheiro”, como os “youtubers”. “O segundo grau teria como finalidade mostrar ao aluno que ele pode colocar em pratica os conhecimento e ganhar dinheiro com isso. Como os youtubers, ganham dinheiro sem enfrentar uma universidade”.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Velez ainda garantiu que Bolsonaro verá as provas do Enem antes delas serem aplicadas aos alunos. “Se o presidente se interessar, ninguém vai impedir. Ótimo que o presidente se interesse pela qualidade das nossas provas”, disse ele, que afirmou se alinhar com as ideias do presidente eleito.

““Não podemos ficar reféns de uma doutrinação de cunho marxista que terminou prevalecendo em muitas universidades”. As informações são  da Folha de S.Paulo.

Agora que você chegou ao final deste texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais