18 de março de 2016, 08h53

Editorial – Às ruas, pela democracia

Estaremos sempre do lado que rejeita o ódio. Do lado que vai lutar em todas as ruas e em todas as redes contra o fascismo, o golpismo e todas as formas de opressão. Porque a gente não tem medo de ter lado Por revista Fórum No primeiro editorial da revista Fórum escrevemos: “há lados. Enquanto houver. Um”. A Fórum não vai fazer de conta num momento tão decisivo da história nacional. Nosso lado é o da luta democrática, dos movimentos, dos mais pobres, dos direitos humanos, das garantias individuais, das lutas de gênero, dos LGBTs, de todas as etnias, de...

Estaremos sempre do lado que rejeita o ódio. Do lado que vai lutar em todas as ruas e em todas as redes contra o fascismo, o golpismo e todas as formas de opressão. Porque a gente não tem medo de ter lado

Por revista Fórum

No primeiro editorial da revista Fórum escrevemos: “há lados. Enquanto houver. Um”.

A Fórum não vai fazer de conta num momento tão decisivo da história nacional.

Nosso lado é o da luta democrática, dos movimentos, dos mais pobres, dos direitos humanos, das garantias individuais, das lutas de gênero, dos LGBTs, de todas as etnias, de todas as cores.

Estaremos sempre do lado que rejeita o ódio.

Do lado que vai lutar em todas as ruas e em todas as redes contra o fascismo, o golpismo e todas as formas de opressão.

Porque a gente não tem medo de ter lado.

Nossa concepção de mundo e de jornalismo é definida pelo lado que escolhemos.

Fórum está hoje em luta pela democracia. E se junta aos milhares de brasileiros que estarão nas ruas.

Porque a nossa incompleta democracia brasileira está sob ataque e em risco.

Como nunca esteve nos últimos 30 anos.

Não são personalidades, um projeto político ou um governo que podem sucumbir.

Somos nós e algumas gerações de brasileiros que estão sob ameaça de voltar à noite escura que este país parecia ter deixado para trás.

As cenas violentas praticadas e filmadas nesses dias na Avenida Paulista são uma pálida amostra do que virá.

Porque eles são muito piores que isso.

Mostrar nossa força hoje é essencial. É fundamental.

É dia de ocupar todas as ruas, todas as redes, todos os espaços possíveis em defesa dos nossos direitos.

É o momento de mostrar que somos muitos.

E que eles não passarão.

Não vai ter golpe.