23 de janeiro de 2019, 12h47

Eduardo Bolsonaro: “Muita gente nem lê o que postamos. Olham a foto e já comentam”

Jornalista d'O Estado de S.Paulo acompanhou café da manhã da comitiva de Bolsonaro. Filho do presidente ainda teve dúvidas sobre publicação: "Trilionário e bilionário têm (a letra) H? "Não, né?"

Reprodução/Instagram
O repórter Jamil Chade, do jornal O Estado de S.Paulo, acompanhou – e gravou – parte da conversa da comitiva de Jair Bolsonaro (PSL) durante o café da manhã desta quarta-feira (23), em Davos, na Suíça. Entre comentário sobre a repercussão do discurso de Bolsonaro, situação da Venezuela e futebol, as redes sociais ganharam espaço. Filho de Jair, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL/RJ) que acompanha a comitiva, teria dito que “muita gente nem lê o que postamos”. “Olham a foto e já comentam, sem nem ler. Acho que apenas 5% das pessoas de fato leem o que se escreve”, disse....

O repórter Jamil Chade, do jornal O Estado de S.Paulo, acompanhou – e gravou – parte da conversa da comitiva de Jair Bolsonaro (PSL) durante o café da manhã desta quarta-feira (23), em Davos, na Suíça.

Entre comentário sobre a repercussão do discurso de Bolsonaro, situação da Venezuela e futebol, as redes sociais ganharam espaço. Filho de Jair, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL/RJ) que acompanha a comitiva, teria dito que “muita gente nem lê o que postamos”.

“Olham a foto e já comentam, sem nem ler. Acho que apenas 5% das pessoas de fato leem o que se escreve”, disse. Instantes depois, ele perguntou ao grupo: “Trilionário e bilionário têm (a letra) H? “Não, né?”.

Pela manhã, Eduardo postou um tuíte sobre o discurso do pai a ministros da economia e investidores, sem usar as palavras que causaram dúvida. “JB @jairbolsonaro para jantar e discursa para dezenas de ministros da economia e investidores de fundos que somados ultrapassam 20 trilhões de dólares”, tuitou.

Segundo o repórter, Bolsonaro ainda falou que “alguém do PT vai vazar a prova” do Enem e reclamou da repercussão do discurso na Bolsa de valores. “Tem cinco dias de alta e dá uma baixadinha e dizem que é o discurso”, se queixou Bolsonaro, em referência à cotação do real frente ao dólar.