Imprensa livre e independente
02 de fevereiro de 2014, 16h41

Eduardo Coutinho é assassinado a facadas em casa

Filho é principal suspeito do assassinato do cineasta, que dirigiu “Cabra marcado para morrer”, um marco do cinema nacional

Filho é principal suspeito do assassinato do cineasta, que dirigiu “Cabra marcado para morrer”, um marco do cinema nacional  Por Redação Eduardo Coutinho (Reprodução / Pipoca Moderna) Foi assassinado, neste domingo (02), o cineasta Eduardo Coutinho. O diretor de “Cabra marcado para morrer” teria sido assassinado a facadas pelo filho, Daniel Coutinho, em seu apartamento no bairro da Lagoa, na zona sul do Rio de Janeiro. O filho de Coutinho ainda teria esfaqueado a mãe, que foi internada em estado grave no Hospital Municipal Miguel Couto, e tentado se matar em seguida. As informações são do portal R7, que divulgou,...

Filho é principal suspeito do assassinato do cineasta, que dirigiu “Cabra marcado para morrer”, um marco do cinema nacional 

Por Redação

Eduardo Coutinho (Reprodução / Pipoca Moderna)

Foi assassinado, neste domingo (02), o cineasta Eduardo Coutinho. O diretor de “Cabra marcado para morrer” teria sido assassinado a facadas pelo filho, Daniel Coutinho, em seu apartamento no bairro da Lagoa, na zona sul do Rio de Janeiro.

O filho de Coutinho ainda teria esfaqueado a mãe, que foi internada em estado grave no Hospital Municipal Miguel Couto, e tentado se matar em seguida. As informações são do portal R7, que divulgou, também, a informação de que Daniel sofre de esquizofrenia.

O corpo do cineasta já estaria no Instituto Médico Legal e a Divisão de Homicídios assumiu a investigação do caso.

Eduardo Coutinho é um dos maiores documentaristas do país. Entre seus trabalhos estão “Edifício Master”, “Peões”, “Jogo de Cena” e “Moscou”. 

Veja também:  Com alto índice de exclusão digital, Damares lança programa para diminuir frequência de conexão

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum