Imprensa livre e independente
13 de setembro de 2018, 22h31

#EleNao: Campanha contra Bolsonaro é um dos assuntos mais comentados do mundo

Mulheres deram o pontapé inicial de uma campanha contra o candidato do PSL e a tag #EleNao, em referência ao militar da reserva, já é o assunto mais comentado do Twitter no Brasil e está entre os mais populares do mundo

Reprodução/Twitter
Depois da divulgação do grupo de mulheres no Facebook que se posicionam contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL), foi dado início a uma intensa campanha online contra o militar da reserva e suas propostas conservadoras e reacionárias. Nesta quinta-feira (13), a hashtag #EleNao, em referência ao militar da reserva, alcançou o primeiro lugar dos Trending Topics do Twitter no Brasil e está entre as tags mais utilizadas do mundo. Nas postagens, internautas explicam os motivos pelos quais não votam em Bolsonaro e expõem declarações e propostas consideradas machistas, homofóbicas ou racistas. Muitos dos que estão participando da mobilização...

Depois da divulgação do grupo de mulheres no Facebook que se posicionam contra o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL), foi dado início a uma intensa campanha online contra o militar da reserva e suas propostas conservadoras e reacionárias.

Nesta quinta-feira (13), a hashtag #EleNao, em referência ao militar da reserva, alcançou o primeiro lugar dos Trending Topics do Twitter no Brasil e está entre as tags mais utilizadas do mundo.

Nas postagens, internautas explicam os motivos pelos quais não votam em Bolsonaro e expõem declarações e propostas consideradas machistas, homofóbicas ou racistas. Muitos dos que estão participando da mobilização se recusam, inclusive, a escrever o nome do candidato.

Confira a repercussão.

Veja também:  Derrotado na CCJ e sem apoio popular, decreto de armas volta a ser defendido por Bolsonaro

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum