Imprensa livre e independente
06 de março de 2019, 13h07

Elza Soares afirma no Sambódromo do Rio: “deixar o país agora é covardia

“Para nós, mulheres, foi uma porrada na boca do estômago. Vou fazer uma homenagem para ela em uma palestra que darei na ONU, no Equador, neste mês”, disse sobre a morte de Marielle

Foto: Elói Corrêa/GOVBA
A cantora Elza Soares, 80 anos, que fez show em um camarote do Sambódromo, no Rio de Janeiro, na madrugada desta terça-feira (5), afirmou que o país não vive um bom momento. Mas discorda da ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos, para quem pais de meninas deveriam fugir com elas do Brasil. “Deixar o país agora é covardia. O país precisa da gente. Brasileiro nunca foi covarde. A gente enfrenta! Vamos morar no quintal dos outros? Lute pelo seu quintal!” Elza comentou ainda o desfile da Mangueira, que homenageou à ex-vereadora Marielle Franco, assassinada no dia 14...

A cantora Elza Soares, 80 anos, que fez show em um camarote do Sambódromo, no Rio de Janeiro, na madrugada desta terça-feira (5), afirmou que o país não vive um bom momento. Mas discorda da ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos, para quem pais de meninas deveriam fugir com elas do Brasil.

“Deixar o país agora é covardia. O país precisa da gente. Brasileiro nunca foi covarde. A gente enfrenta! Vamos morar no quintal dos outros? Lute pelo seu quintal!”

Elza comentou ainda o desfile da Mangueira, que homenageou à ex-vereadora Marielle Franco, assassinada no dia 14 de março de 2018. “Fiquei muito abalada com a morte dela. Foi uma voz que apagaram. Para nós, mulheres, foi uma porrada na boca do estômago. Vou fazer uma homenagem para ela em uma palestra que darei na ONU, no Equador, neste mês”, disse.

Com informações da coluna de Mônica Bergamo

Veja também:  "Hoje a casa caiu, Dallagnol, Glen te viu, Glen te vê", sambistas fazem paródia com Vaza-Jato

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum