Seja Sócio Fórum
25 de janeiro de 2019, 19h47

Em 2005, Bolsonaro chamou chefe da milícia de “brilhante oficial”

Em seu discurso à época, Bolsonaro pede ajuda da então deputada federal Denise Frossard, ex-juiza criminal, para reverter a condenação de Adriano da Nóbrega

Foto: Reprodução Apontado pelo Ministério Público como chefe da milícia do Rio das Pedras e articulador do Escritório do Crime – principal grupo de matadores de aluguel do Rio -, o ex-capitão da Polícia Militar, Adriano Magalhães da Nóbrega, o Urso Polar, já foi homenageado por Jair Bolsonaro, de acordo com informações de Igor Mello, de O Globo. O miliciano tinha sido condenado por homicídio dias antes do pronunciamento de Bolsonaro no plenário da Câmara. O então parlamentar afirmou ter comparecido ao julgamento do PM, segundo ele um “brilhante oficial”. Fórum terá um jornalista em Brasília em 2019. Será que...

Foto: Reprodução

Apontado pelo Ministério Público como chefe da milícia do Rio das Pedras e articulador do Escritório do Crime – principal grupo de matadores de aluguel do Rio -, o ex-capitão da Polícia Militar, Adriano Magalhães da Nóbrega, o Urso Polar, já foi homenageado por Jair Bolsonaro, de acordo com informações de Igor Mello, de O Globo.

O miliciano tinha sido condenado por homicídio dias antes do pronunciamento de Bolsonaro no plenário da Câmara. O então parlamentar afirmou ter comparecido ao julgamento do PM, segundo ele um “brilhante oficial”.

Fórum terá um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Bolsonaro falou a respeito do caso no dia 27 de outubro de 2005, quatro dias depois da condenação de Adriano a 19 anos e seis meses de prisão pela morte do guardador de carros Leandro dos Santos Silva, de 24 anos.

Em seu discurso, Bolsonaro pede ajuda da então deputada federal Denise Frossard, ex-juiza criminal, para reverter a condenação de Adriano. O presidente criticou um coronel da PM, responsável por uma sindicância contra o miliciano, sem considerar, segundo Bolsonaro, “o fato de ele ter sido um brilhante oficial”.

“Um dos coronéis mais antigos do Rio de Janeiro compareceu fardado, ao lado da Promotoria, e disse o que quis e o que não quis contra o tenente, acusando-o de tudo que foi possível, esquecendo-se até do fato de ele sempre ter sido um brilhante oficial e, se não me engano, o primeiro da Academia da Polícia Militar”, declarou Bolsonaro.

Agora que você chegou ao final deste texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum