Imprensa livre e independente
14 de dezembro de 2018, 11h55

Em despedida melancólica, Aécio usa seu tempo no plenário para se defender

Ao contrário do que acontece com outros senadores que se despedem, os colegas que falaram em seguida não o parabenizaram nem fizeram menção a ele

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) se despediu do seu mandato, nesta quarta-feira (13), no plenário do Senado, na sede do Congresso, em Brasília. O tucano usou seu tempo para se defender da acusação de que teria recebido propina para viabilizar sua candidatura à Presidência em 2014. Ao contrário do que acontece com outros senadores que se despedem, os colegas que falaram em seguida não o parabenizaram nem fizeram menção a ele. Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais “Não poderia permitir que essa legislatura se encerre sem que eu traga...

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) se despediu do seu mandato, nesta quarta-feira (13), no plenário do Senado, na sede do Congresso, em Brasília. O tucano usou seu tempo para se defender da acusação de que teria recebido propina para viabilizar sua candidatura à Presidência em 2014.

Ao contrário do que acontece com outros senadores que se despedem, os colegas que falaram em seguida não o parabenizaram nem fizeram menção a ele.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

“Não poderia permitir que essa legislatura se encerre sem que eu traga aqui uma manifestação clara e vigorosa de indignação em relação a esses últimos acontecimentos que me têm como protagonista”, afirmou.

Aécio se referia às delações de Joesley Batista e Ricardo Saud, onde foi acusado de ter recebido R$ 110 milhões em propina para viabilizar sua candidatura. Ele afirma que os valores são doações de campanha da J&F, permitidas pela lei na época.

Veja também:  Selva no PSL: criticada, Joice Hasselmann chama Carla Zambelli de burra

Como consequência, o senador recebeu um mandado de busca e apreensão em seu apartamento no Rio de Janeiro, cumprido nesta terça-feira pela Polícia Federal. As prisões de Aécio Neves e seu primo Frederico Pacheco de Medeiros chegaram a ser solicitadas, mas foram negadas.

Após operação, a PF obteve novos indícios de repasse de dinheiro vivo a Aécio.

Aécio admite que cometeu “um erro”: ter aceitado, em 2017, participar de conversas gravadas como parte do acordo de delação dos irmãos Batista. Ele admite ter recebido dinheiro da empresa na ocasião, mas afirma que não cometeu nenhum crime.

Com informações do Globo

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum