Imprensa livre e independente
12 de março de 2017, 10h35

Em entrevista, Temer diz que deixou o Palácio da Alvorada por medo de fantasma: “Não conseguia dormir”

Ele afirmou à Veja que teve insônia desde a primeira noite na residência oficial da presidência: "A energia não era boa".

Ele afirmou à Veja que teve insônia desde a primeira noite na residência oficial da presidência: “A energia não era boa” Por Redação Em entrevista para a revista Veja, Michel Temer revelou o motivo pelo qual deixou de morar no Palácio da Alvorada, residência oficial da presidência. Ele voltou com a família para o Jaburu poucos dias depois da mudança. “O Palácio da Alvorada tem um monte de quartos, uns oito, todos muito grandes. Tudo muito amplo, bonito. Mas senti uma coisa estranha lá. Eu não conseguia dormir, desde a primeira noite. A energia não era boa”, afirmou. A decisão foi...

Ele afirmou à Veja que teve insônia desde a primeira noite na residência oficial da presidência: “A energia não era boa”

Por Redação

Em entrevista para a revista Veja, Michel Temer revelou o motivo pelo qual deixou de morar no Palácio da Alvorada, residência oficial da presidência. Ele voltou com a família para o Jaburu poucos dias depois da mudança.

“O Palácio da Alvorada tem um monte de quartos, uns oito, todos muito grandes. Tudo muito amplo, bonito. Mas senti uma coisa estranha lá. Eu não conseguia dormir, desde a primeira noite. A energia não era boa”, afirmou.

A decisão foi criticada após haver uma reforma de mais de R$ 20 mil para adaptar o Alvorada às necessidades do filho de Temer. Sobre a falta de adaptação ao lugar, o peemedebista completou: “A Marcela sentiu a mesma coisa. Só o Michelzinho, que ficava correndo de um lado para outro, gostou. Chegamos a pensar: será que tem fantasma?”.

Foto: Lula Marques

Veja também:  Livre, Michel Temer diz que aguardou com "serenidade" a decisão do STJ

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum