Imprensa livre e independente
01 de janeiro de 2019, 18h09

Em show de populismo, Michelle Bolsonaro discursa em libras e dá beijinho em Bolsonaro

Em um "inédito" discurso de primeira-dama, feito em libras - a linguagem dos sinais -, Michelle fez agradecimentos e, entre caras e bocas, deu um beijo em Bolsonaro.

Reprodução/TV Globo
A discrição que aparentou a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, durante a campanha eleitoral, foi definitivamente deixada de lado durante a cerimônia de posse do marido, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), nesta terça-feira (1º). Em um “inédito” discurso de primeira-dama, feito em libras – a linguagem dos sinais -, Michelle fez agradecimentos e, entre caras e bocas, deu um beijo em Bolsonaro. “Muita gratidão a Deus, à minha família, aos meus amigos, em especial quero agradecer ao meu enteado Carlos, por toda a ajuda e parceria durante os 23 dias que passamos dentro do hospital em São Paulo”, disse, em libras, referindo-se...

A discrição que aparentou a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, durante a campanha eleitoral, foi definitivamente deixada de lado durante a cerimônia de posse do marido, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), nesta terça-feira (1º). Em um “inédito” discurso de primeira-dama, feito em libras – a linguagem dos sinais -, Michelle fez agradecimentos e, entre caras e bocas, deu um beijo em Bolsonaro.

“Muita gratidão a Deus, à minha família, aos meus amigos, em especial quero agradecer ao meu enteado Carlos, por toda a ajuda e parceria durante os 23 dias que passamos dentro do hospital em São Paulo”, disse, em libras, referindo-se ao filho de Jair, que acompanhou a comitiva dentro do Rolls-Royce presidencial.

Michelle também agradeceu a Deus pela saúde do marido e pronunciou o slogan da campanha, “Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos”. Durante o pronunciamento, a pedido do público, ela deu um beijo no marido.

A mulher de Bolsonaro recebeu um depósito no valor de R$ 24 mil de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, que teve o nome envolvido em movimentação atípica, no valor de R$ 24 milhões, segundo o Coaf.

Veja também:  Parlamentares acionam MPF para barrar desmonte da Política de HIV e AIDs no Brasil

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum