05 de outubro de 2018, 08h37

Em tom de deboche, Bolsonaro publica foto assistindo programa de comédia na hora do debate

Bolsonaro alegou que não iria ao último debate entre os candidatos à Presidência por "recomendações médicas". Porém, gravou uma entrevista que foi reproduzida pelo Jornal da Record durante o evento da Globo.

Reprodução/Instagram

Em tom de deboche, Jair Bolsonaro, presidenciável do PSL, publicou uma foto em sua conta no instagram assistindo a um programa humorístico durante o debate entre os demais candidatos à Presidência da República, promovido pela Rede Globo, na noite desta quinta-feira (4). “Dando uma conferida no show ao vivo do apresentador e comediante @danilogentili . Kkkkkk”, publicou o militar da reforma.

Bolsonaro alegou que não iria ao último debate entre os candidatos à Presidência por “recomendações médicas”. Porém, gravou uma entrevista que foi reproduzida pelo Jornal da Record durante o evento da Globo. Edir Macedo, bispo da Igreja Universal e dono da TV Recordo, anunciou apoio à candidatura do militar da reserva nesta semana.

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Dando uma conferida no show ao vivo do apresentador e comediante @danilogentili . Kkkkkk 👍🏻

Uma publicação compartilhada por Jair Bolsonaro 17 (@jairmessiasbolsonaro) em

No debate da Globo, os candidatos criticaram a ausência de Bolsonaro. “O candidato que lidera as pesquisas que tem um vice que diz que vai acabar com o 13º e o adicional de férias e seu economista, a quem ele diz que vai consultar porque não entende nada de economia, disse que vai aumentar o imposto dos mais pobres não está aqui para debater, disse Ciro Gomes (PDT).

Henrique Meirelles (MDB) afirmou que “o eleitor merece respeito”. “Se alguém foge do debate, se esconde e só vai dar entrevista em situação de absoluto controle, significa que essa pessoa não tem condições de administrar o país”, disse.

Guilherme Boulos (PSol) criticou a ausência do candidato e fez uma defesa enfática da democracia. “Muita gente morreu, muita gente foi torturada. Tem mãe que não conseguiu enterrar o filho até hoje. Faz 30 anos mas acho que nunca estivemos tão perto. Se estamos hoje discutindo o futuro do brasil é porque gente derramou sangue para isso. Ditadura Nunca Mais”, disse.