17 de janeiro de 2018, 21h18

Em Washington, Rodrigo Maia diz que o premiado Bolsa Família “escraviza” as pessoas

Programa criado por Lula que foi criticado pelo presidente da Câmara já recebeu dezenas de prêmios internacionais, é reconhecido por órgãos como ONU e FMI e já serviu de inspiração para programas sociais de inúmeros governos ao redor do mundo Por Redação O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou nesta quarta-feira (18) em Washington (EUA) que o programa Bolsa Família, principal marca social dos governos Lula e Dilma Rousseff, “escraviza” as pessoas. Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais. O deputado do DEM, virtual candidato à presidência este ano, apelou para...

Programa criado por Lula que foi criticado pelo presidente da Câmara já recebeu dezenas de prêmios internacionais, é reconhecido por órgãos como ONU e FMI e já serviu de inspiração para programas sociais de inúmeros governos ao redor do mundo

Por Redação

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou nesta quarta-feira (18) em Washington (EUA) que o programa Bolsa Família, principal marca social dos governos Lula e Dilma Rousseff, “escraviza” as pessoas.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

O deputado do DEM, virtual candidato à presidência este ano, apelou para o jargão fácil, em outras palavras, de que o programa “dá o peixe e não ensina a pescar” para criticá-lo.

“Criar um programa para escravizar as pessoas não é um bom programa social. O programa é bom onde você inclui a pessoa e dá condições para que ela volte à sociedade e possa, com suas próprias pernas, conseguir um emprego”, afirmou.

A fala do deputado é repleta de conceitos prontos utilizados pela oposição aos governos petistas e sem nenhum dado concreto. O fato é que dados oficiais apontam que, em 12 anos, o programa tirou 36 milhões de pessoas da pobreza extrema, fazendo com que o Brasil saísse do Mapa da Fome da Organização das Nações Unidas (ONU).

Além disso, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO, sigla em inglês), o Brasil reduziu a fome em 75% entre 2001 e 2012, muito por conta do Bolsa Família.

O programa criticado por Rodrigo Maia, além de tudo, já ganhou dezenas de prêmios internacionais, foi citado como referência por órgãos como a ONU e o FMI e tem sido, até hoje, estudado como referência para programas sociais em inúmeros países.