30 de dezembro de 2018, 10h18

Enquanto ‘Folha’ censura, francês ‘Le Monde’ destaca na capa: “Extrema direita no Brasil”

"Brasil: extrema direita chega ao poder" é a manchete de capa do jornal francês Le Monde deste domingo (30), que traz uma matéria crítica à eleição de Jair Bolsonaro e fala sobre a "vitória dos nostálgicos da ditadura"; enquanto isso, no Brasil, Folha de S. Paulo proíbe jornalistas de usar o termo "extrema direita" para se referir ao presidente eleito

Reprodução
O jornal francês Le Monde, um dos mais respeitados do mundo, dedicou a manchete de capa de sua edição impressa deste domingo (30) ao Brasil. Em letras garrafais, o periódico destaca: “Brasil: extrema direita chega ao poder”. A matéria da manchete em questão contém um tom crítico à eleição de Jair Bolsonaro, prestes a tomar posse. O jornal diz que a ascensão do capitão da reserva representa a vitória dos militares e dos “nostálgicos da ditadura”. Matéria de capa do ‘Le Monde’ destaca ascensão da extrema direita no Brasil (Reprodução) Enquanto isso, no Brasil, a imprensa tradicional minimiza as posições...

O jornal francês Le Monde, um dos mais respeitados do mundo, dedicou a manchete de capa de sua edição impressa deste domingo (30) ao Brasil. Em letras garrafais, o periódico destaca: “Brasil: extrema direita chega ao poder”.

A matéria da manchete em questão contém um tom crítico à eleição de Jair Bolsonaro, prestes a tomar posse. O jornal diz que a ascensão do capitão da reserva representa a vitória dos militares e dos “nostálgicos da ditadura”.

Matéria de capa do ‘Le Monde’ destaca ascensão da extrema direita no Brasil (Reprodução)

Enquanto isso, no Brasil, a imprensa tradicional minimiza as posições extremistas do presidente eleito. Durante a campanha, por exemplo, a Fórum noticiou com exclusividade que a direção do jornal Folha de S. Paulo, um dos maiores do país, proibiu seus jornalistas de usarem o termo “extrema direita” para se referir a Jair Bolsonaro. Relembre aqui.