Imprensa livre e independente
20 de fevereiro de 2017, 21h47

Entregue no Senado abaixo-assinado com mais de 270 mil assinaturas contra a indicação de Moraes ao STF

“A gente sentiu a responsabilidade de trazer essa posição contrária à nomeação dele pela reputação dele não ser ilibada para o cargo”, disse uma das estudantes que assinaram o documento, uma iniciativa do Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade de Direito do Largo São Francisco (USP), instituição em que Moraes se formou. Abaixo-assinado ainda está aberto a novas assinaturas Por Agência Brasil Estudantes de direito e representantes de organizações da sociedade civil entregaram hoje (20) à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) abaixo-assinado em que se manifestam contra a indicação de Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal...

“A gente sentiu a responsabilidade de trazer essa posição contrária à nomeação dele pela reputação dele não ser ilibada para o cargo”, disse uma das estudantes que assinaram o documento, uma iniciativa do Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade de Direito do Largo São Francisco (USP), instituição em que Moraes se formou. Abaixo-assinado ainda está aberto a novas assinaturas

Por Agência Brasil

Estudantes de direito e representantes de organizações da sociedade civil entregaram hoje (20) à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) abaixo-assinado em que se manifestam contra a indicação de Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal (STF). Moraes será sabatinado amanhã (21) pela comissão.

Os estudantes estavam acompanhado por senadores da oposição e membros da CCJ, que apresentaram  à comissão um requerimento para que as assinaturas sejam anexadas ao processo da sabatina. O abaixo-assinado reuniu 270 mil assinaturas de internautas, que foram recolhidas pelo Instituto Brasileiro de Ciências Criminais e a organização não governamental Conectas Direitos Humanos.

Leia também: Centro de Acadêmico de faculdade onde Moraes se formou divulga nota de repudio à sua indicação ao STF

Veja também:  Filho de Bolsonaro, o presidente que chama estudantes de ‘idiotas’, comete mais um erro crasso no Twitter

Para os estudantes, Alexandre de Moraes, que está licenciado do cargo de ministro da Justiça, não reúne as condições necessárias para ser indicado para a Corte Suprema. “A gente sentiu a responsabilidade de trazer essa posição contrária à nomeação dele pela reputação dele não ser ilibada para o cargo”, disse a presidente do Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Paula Masulk. Segundo a estudante, quando ocupou a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, Moraes não mostrou respeito pelos direitos humanos.

O abaixo-assinado ainda está aberto a assinaturas e pode ser acessado aqui.

Na semana passada, outro grupo ligado a movimentos sociais entregou um manifesto sugerindo uma candidatura alternativa à de Moraes. Na ocasião, o presidente da CCJ, senador Edison Lobão (PMDB-MA), que deve conduzir a sabatina, recebeu a petição e disse que a opinião pública deve ser considerada.

Sabatina

O ministro licenciado da Justiça e Segurança Pública, Alexandre de Moraes, será sabatinado amanhã (21) pelos membros da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado. Moraes é o indicado do presidente Michel Temer para ocupar a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), em decorrência da morte de Teori Zavascki em janeiro. A sessão está marcada para as 10h.

Veja também:  Racha na direita: MBL acusa milícia bolsonarista nas redes de fake news

O líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR), disse que a expectativa é que a sabatina seja “longa”. “Alguns setores do Senado tenderão a ‘politicar’ o debate, é natural, faz parte. Alguém que quer ser ministro do Supremo tem que estar preparado para isso.”

Para Jucá, Moraes é uma pessoa “extremamente preparada e tem uma base jurídica muito forte” , mas a dificuldade para a aprovação de seu nome será proporcional a seu desempenho na sabatina. “Vai ser fácil se ele for bem na sabatina. Vai depender dele. É um teste que ele tem que passar.”

Os senadores devem interpelar Moraes sobre questões do mundo jurídico, assuntos considerados relevantes para o país, além de confirmar informações referentes à vida profissional dele.

Para a base governista, a sabatina pode trazer mais esclarecimentos sobre o indicado. “Ali [no STF] o juiz não é um político, aqui [no Congresso] temos a preocupação de fazer leis, lá ([STF] é a capacidade de julgar (….) Então, o que ele tem que mostrar é o seu saber jurídico. E não tenho dúvida de que vai ser uma oportunidade para ele reafirmar o conhecimento que tem, até porque a área acadêmica cita Alexandre de Moraes como um especialista, autor de livros na área do direito constitucional, e o nome dele não teve restrições nessa área”, afirmou a senadora Ana Amélia (PP-RS), que em 2015 era membro da CCJ e participou da sabatina do atual ministro do STF Edson Fachin.

Veja também:  Crônica de 15 de maio

Já a bancada de oposição deve votar contra a nomeação de Moraes. “Nós temos muitas preocupações com essa indicação, é uma indicação partidária. Não que não façam parte do processo político as indicações ao Supremo, mas a pessoa que foi indicada é militante de carteirinha do PSDB, já fez críticas ao PT, já se utilizou de seus cargos com intenção partidária”, declarou a senadora Gleisi Hoffman (PT-SC), líder do partido no Senado.

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum