06 de novembro de 2016, 11h21

Equipe de futebol masculino de Harvard é suspensa por fazer ranking sexista de jogadoras

O documento tinha as fotos das garotas e as classificava de acordo com a a aparência, partes do corpo e possuía até comentários explícitos sobre qual posição sexual, segundo os atletas, seria a preferida das meninas.

Por Redação

A equipe de futebol masculina da Universidade de Harvard foi suspensa pela direção da universidade depois da descoberta de que os atletas do time em 2012 criaram um ranking sexual das jogadoras do time feminino. A classificação se dava sobre a aparência, partes do corpo e até comentários explícitos sobre qual posição sexual, segundo os homens, seria a preferida das meninas.

O documento também tinha fotos retiradas do Facebook das próprias jogadoras. O autor dos textos normalmente incluía conteúdo sexualmente explícito sobre as mulheres. Ele escreveu, por exemplo, que uma das jogadores “tinha cara de quem gostava de dominar e de ser dominada”.

As informações foram reveladas pelo jornal “The Harvard Crimson”, feito por alunos da universidade. Segundo a publicação, uma das mensagens trocadas indica que seja uma prática anual do time. Os membros da equipe de 2012 recusaram comentar o ranking ou até revelar se ele continua sendo feito.

Atualmente, a equipe masculina ocupa o primeiro lugar da liga universitária americana e não poderá disputar o resto da temporada. O presidente da Universidade de Harvard, Drew Faust, tomou a decisão de suspender a equipe.

“A decisão de cancelar a temporada é séria e consequente, e reflete o ponto de vista de Harvard de que o comportamento da equipe é completamente inaceitável, não é próprio desta universidade e vai contra o respeito mútuo e contra os valores de nossa comunidade”, disse.

Foto de Capa: The Harvard Crimson