Imprensa livre e independente
13 de dezembro de 2018, 07h14

Esquema Laranja: General Mourão diz que, caso fique comprovado, foi “uma burrice ao cubo”

Mourão também cobrou respostas do assessor de Flávio Bolsonaro: "O dono da bola se chama Queiroz (Fabrício José Carlos de Queiroz). Ele é o dono da bola.

O vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, afirmou à revista Crusoé, que caso fique comprovado que os R$1,2 milhão movimentados por um ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro, se trata de uso de “laranjas” que recebiam e devolviam parte dos seus salários seria uma “burrice ao cubo”. “Pô, por que o cara não entregava dinheiro em espécie? Quando há ilicitude, o dinheiro é entregue em espécie. A partir do momento que você coloca conta bancária, você está passando recibo, né?”, afirmou à revista. Mourão disse que ainda “não há elementos para emitir um juízo de valor sobre o caso” e que não sabe até...

O vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, afirmou à revista Crusoé, que caso fique comprovado que os R$1,2 milhão movimentados por um ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro, se trata de uso de “laranjas” que recebiam e devolviam parte dos seus salários seria uma “burrice ao cubo”.

“Pô, por que o cara não entregava dinheiro em espécie? Quando há ilicitude, o dinheiro é entregue em espécie. A partir do momento que você coloca conta bancária, você está passando recibo, né?”, afirmou à revista.

Mourão disse que ainda “não há elementos para emitir um juízo de valor sobre o caso” e que não sabe até que ponto Flávio Bolsonaro tinha conhecimento sobre as movimentações.

Mourão também cobrou respostas do assessor de Flávio Bolsonaro: “O dono da bola se chama Queiroz (Fabrício José Carlos de Queiroz). Ele é o dono da bola. É o dono da bola. Esse cara tem que vir a público e dizer”.

Ajude a Fórum a ter uma Sucursal em Brasília. Clique aqui e saiba mais.

Veja também:  Em artigo, Tabata Amaral fala em renúncia ou impeachment de Bolsonaro como saídas para a crise

Queiroz é citado em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) anexado à Operação Furna da Onça, que no mês passado prendeu deputados estaduais do Rio.

Além de ter movimentado 1,2 milhão de reais na sua conta ele depositou um cheque de R$ 24 mil na conta da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Até o momento Michelle não se pronunciou sobre o fato.

O futuro presidente da República, Jair Bolsonaro, foi quem falou. Ele disse que o dinheiro se tratava do pagamento de uma dívida contraída por Queiroz ao longo do tempo com ele.

O Jornal Nacional de ontem à noite revelou que um dos funcionários do gabinete de Flávio Bolsonaro morava em Portugal enquanto era registrado e recebia pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

 

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum