Imprensa livre e independente
09 de agosto de 2016, 15h11

Estatal mineira cobra família de Aécio por obra realizada em fazenda

Relatório da Companhia Energética de Minas Gerais afirma que foram feitas benfeitorias em uma propriedade da família do tucano no valor de R$ 240 mil quando ele era governador do estado.

Relatório da Companhia Energética de Minas Gerais afirma que foram feitas benfeitorias em uma propriedade da família do tucano no valor de R$ 240 mil quando ele era governador do estado Por Redação* Um relatório da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) revelou que, quando Aécio Neves (PSDB) era governador do estado, foi realizada uma obra em uma rede de energia elétrica na fazenda da família do político. Porém, os custos do serviço, no valor de R$ 240 mil, não foram pagos à estatal. O documento foi assinado pelo superintendente de Auditoria Interna da empresa, Eduardo Ferreira. O relatório traz fotos das...

Relatório da Companhia Energética de Minas Gerais afirma que foram feitas benfeitorias em uma propriedade da família do tucano no valor de R$ 240 mil quando ele era governador do estado

Por Redação*

Um relatório da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) revelou que, quando Aécio Neves (PSDB) era governador do estado, foi realizada uma obra em uma rede de energia elétrica na fazenda da família do político. Porém, os custos do serviço, no valor de R$ 240 mil, não foram pagos à estatal.

O documento foi assinado pelo superintendente de Auditoria Interna da empresa, Eduardo Ferreira. O relatório traz fotos das benfeitorias feitas na propriedade, localizada na cidade de Cláudio (MG), como cercas e casas de alvenaria para animais. Na época, a Cemig era presidida por um aliado de Aécio, Djalma Morais.

Cobrada desde setembro de 2015, depois que o PT assumiu o governo de Minas, a família do senador pagou o valor reajustado de R$ 417 mil. Os parentes do tucano não reconhecem a legalidade da acusação, mas disseram que efetuaram o pagamento para que não haja “uso político” do assunto.

Veja também:  Político oculto da confissão de Cabral é Aécio Neves, afirma Lauro Jardim

* Com informações da Folha de S. Paulo
Foto: Waldemir Barreto | Agência Senado

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum