Imprensa livre e independente
10 de junho de 2016, 12h39

Estatal mineira fez parceria com firma de pai de Aécio Neves

Acordo foi efetuado quando o tucano era governador de Minas Gerais; no entanto, ele nega qualquer interferência do Estado nas negociações.

Acordo foi efetuado quando o tucano era governador de Minas Gerais; no entanto, ele nega qualquer interferência do Estado nas negociações Por Redação* Uma estatal do governo de Minas Gerais fechou um termo de parceria com o pai de Aécio Neves (PSDB), Aécio Ferreira da Cunha (1927-2010), quando o tucano era governador. O acordo, que não está mais em vigor, havia sido firmado entre a estatal Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais) e a Perfil Agropecuária, firma de Cunha. A parceria previa pagamento de R$ 250 mil para a produção de feijão na fazenda do pai de Aécio em...

Acordo foi efetuado quando o tucano era governador de Minas Gerais; no entanto, ele nega qualquer interferência do Estado nas negociações

Por Redação*

Uma estatal do governo de Minas Gerais fechou um termo de parceria com o pai de Aécio Neves (PSDB), Aécio Ferreira da Cunha (1927-2010), quando o tucano era governador. O acordo, que não está mais em vigor, havia sido firmado entre a estatal Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais) e a Perfil Agropecuária, firma de Cunha.

A parceria previa pagamento de R$ 250 mil para a produção de feijão na fazenda do pai de Aécio em Montezuma (MG). Depois, a produção deveria ser vendida preferencialmente à própria Epamig.

Procurado, o ex-governador alega que não houve qualquer interferência do Estado nas negociações. Na quarta-feira (8) um deputado do PT de Minas entrou com um pedido de investigação para que o Ministério Público apure se Aécio Neves beneficiou familiares no episódio.

* Com informações da Folha de S. Paulo

Foto: Waldemir Barreto /Agência Senado

Veja também:  MP alega que, mesmo intimado, Flávio Bolsonaro não entregou declarações de IR

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum