ASSISTA
30 de setembro de 2015, 18h50

“Estratégia para terminar namoro”, diz defesa de policial que pediu para estuprar as filhas da amante

Depois de ter uma conversa vazada em que pede para estuprar meninas de 4 e 14 anos como “prova de amor”, advogado de policial militar da Paraíba justifica o pedido afirmando que era, na verdade, uma “estratégia para terminar o namoro”; agente foi afastado e o caso está sob investigação da Delegacia da Mulher Por […]

Depois de ter uma conversa vazada em que pede para estuprar meninas de 4 e 14 anos como “prova de amor”, advogado de policial militar da Paraíba justifica o pedido afirmando que era, na verdade, uma “estratégia para terminar o namoro”; agente foi afastado e o caso está sob investigação da Delegacia da Mulher

Por Redação

Ganhou repercussão nas redes sociais, nesta quarta-feira (30), o caso do policial militar da Paraíba que tentou, através de uma rede social, convencer sua amante a deixá-lo estuprar suas filhas de 4 e 14 anos como uma “prova de amor”. Ao flagrar as conversas no celular da mãe, a filha mais velha divulgou o caso nas redes sociais com medo de sofrer um estupro. Pouco tempo depois, o policial foi identificado e afastado da corporação para que sejam realizadas as investigações, que estão sob o comando da Delegacia da Mulher.

A justificativa do PM para elucidar a situação foi surpreendente: ele teria feito a proposta como uma “estratégia para terminar o namoro”. “Realmente aconteceu a situação da conversa, que chegou a vazar. Mas ele em momento algum tinha a intenção de manter relação sexual com as menores. Ele falou aquilo, pois foi a única maneira que ele encontrou para encerrar o namoro”, disse o advogado do agente ao portal G1.

O policial aguardará o término das investigações em liberdade.

Confira abaixo os registros da conversa que vazaram:

Reprodução

Reprodução