Imprensa livre e independente
18 de julho de 2018, 12h29

Estreia em setembro filme em que agente federal mata por vingança políticos corruptos

Na história original, em HQ, o vingador persegue personagens como Dilma Rousseff e Renan Calheiros. No filme os nomes foram substituídos

Está em fase de acabamento O Doutrinador, filme Gustavo Bonafé e Fábio Mendonça, baseado em HQ de Luciano Cunha e Gabriel Wainer que conta a história um policial federal que, após perder a filha por falta de atendimento em um hospital público, começa a matar políticos corruptos. O filme é uma produção da Paris Entretenimento e Downtown Filmes, com estreia prevista para o mês de setembro. Na história original o personagem busca vingança contra personalidades políticas conhecidas como Dilma Rousseff, que nunca teve sequer um indiciamento por corrupção em seu currículo e também Renan Calheiros. Para a produção cinematográfica, no entanto, os...

Está em fase de acabamento O Doutrinador, filme Gustavo Bonafé e Fábio Mendonça, baseado em HQ de Luciano Cunha e Gabriel Wainer que conta a história um policial federal que, após perder a filha por falta de atendimento em um hospital público, começa a matar políticos corruptos. O filme é uma produção da Paris Entretenimento e Downtown Filmes, com estreia prevista para o mês de setembro.

Na história original o personagem busca vingança contra personalidades políticas conhecidas como Dilma Rousseff, que nunca teve sequer um indiciamento por corrupção em seu currículo e também Renan Calheiros. Para a produção cinematográfica, no entanto, os nomes foram trocados. O Doutrinador (Kiko Pissolato) faz justiça com as próprias mãos na fictícia Santa Cruz, visando políticos como o governador Sandro Correa (Eduardo Moscovis) e a ministra Marta Regina (Marília Gabriela).

Identificação total

O ator Kiko Pissolato, em conversa com o site Adoro Cinema, confessou que se identifica totalmente com o personagem. “Lógico que de uma maneira ficcional, fantasiosa. Eu sou pacifista, humanista, acredito que a mudança tenha que partir do interior de cada um. Mas essa busca por justiça, essa vontade de mudar e esse incômodo com as situações de injustiça são muito próximos de mim”, revelou.

Veja também:  Em nota, Natura diz que propaganda reforça apoio à causa LGBT+: “No amor cabem todas as cores”

Pissolato disse ainda que “os espectadores vão ter a catarse de ver esses vilões mortos violentamente, e isso pode provocar um sentimento de descarrego, a ponto de analisarem e falarem ‘A gente não pode mais ter essas pessoas no poder’”.

Função é combater corruptos

Já o diretor do filme, Gustavo Bonafé, negou que o filme seja político: “Não tomamos nenhum partido, a intenção é expressar a revolta contra toda a classe política, seja ela de esquerda ou direita. É importante lembrar que se trata de entretenimento. Ninguém precisa se posicionar politicamente. A função do personagem é clara, que é combater os corruptos, e eles estão em todas as correntes partidárias. Não sei se isso vai gerar polêmica, não é a minha intenção”, disse.

As filmagens estão acontecendo em São Paulo. O material colhido servirá também para uma série de mesmo nome, ambos dirigidos por Gustavo Bonafé, com co-direção de Fábio Mendonça.

Veja o trailer do filme:

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum