Imprensa livre e independente
07 de julho de 2013, 15h17

EUA espionaram milhões de e-mails e telefonemas no Brasil

Documentos vazados por Edward Snowden revelam que o país é o mais espionado da América Latina e figura como "alvo prioritário" ao lado de China, Rússia, Irã e Paquistão

Documentos vazados por Edward Snowden revelam que o país é o mais espionado da América Latina e figura como “alvo prioritário” ao lado de China, Rússia, Irã e Paquistão Da Redação  Edward Snowden revelou ao mundo a máquina de espionagem estadunidense (Foto: Wikimedia Commons) De acordo com documentos vazados por Edward Snowden, ex-consultor da CIA, pessoas que moraram ou passaram pelo Brasil, e também empresas instaladas no país, foram espionadas pela NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) durante a última década. Segundo informações obtidas pelo jornal O Globo, a NSA mantém uma parceria com uma grande empresa de telefonia...

Documentos vazados por Edward Snowden revelam que o país é o mais espionado da América Latina e figura como “alvo prioritário” ao lado de China, Rússia, Irã e Paquistão

Da Redação 

Edward Snowden revelou ao mundo a máquina de espionagem estadunidense (Foto: Wikimedia Commons)

De acordo com documentos vazados por Edward Snowden, ex-consultor da CIA, pessoas que moraram ou passaram pelo Brasil, e também empresas instaladas no país, foram espionadas pela NSA (Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos) durante a última década.

Segundo informações obtidas pelo jornal O Globo, a NSA mantém uma parceria com uma grande empresa de telefonia nos Estados Unidos, que por sua vez possui relações de negócios com outros empresas de telecomunicações ao redor do mundo, incluindo as brasileiras. Por meio desta parceria corporativa, a NSA ganhou acesso às redes de comunicações também fora dos Estados Unidos. O documento que revelou a espionagem norte-americana no Brasil  não informa qual empresa dos EUA possui parceria com a NSA e nem quais companhias de comunicação brasileiras mantém relações com ela.

Veja também:  Popularidade de Dallagnol está em baixa nas redes sociais

O Globo diz que os documentos não revelam os números precisos das atividades de espionagem da NSA nas comunicações brasileiras, mas, segundo o jornal, o Brasil teve 2,3 bilhões de telefonemas e mensagens espionados no último mês de janeiro. O país é o mais monitorado da América Latina e aparece como “alvo prioritário” ao lado de nações como China, Rússia, Irã e Paquistão.

Neste momento, Snowden encontra-se na zona de trânsito de um aeroporto em Moscou. O ex-consultor da CIA permanece no local desde o dia 23 de junho. Os Estados Unidos querem sua extradição, o que a Rússia nega conceder. Três países latino-americanos já ofereceram asilo a Snowden: Venezuela, Nicarágua e Bolívia.

Reação

Neste domingo, 7, o governo brasileiro cobrou explicações dos Estados Unidos sobre a denúncia de espionagem de cidadãos e empresas brasileiras por parte da NSA . O Ministério das Relações Exteriores solicitou esclarecimentos ao embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, e acionou a embaixada brasileira em Washington para cobrar diretamente o governo norte-americano. O governo brasileiro também irá entrar com uma moção na ONU (Organização das Nações Unidas) para que a segurança cibernética seja aperfeiçoada com o objetivo de  evitar abusos deste tipo por parte de um país.

Veja também:  Saiba quem é Glenn Greenwald, o jornalista que revelou o escândalo da #VazaJato

(Com informações do jornal O Globo)

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum