Imprensa livre e independente
01 de dezembro de 2017, 10h37

Ex-executivo da Globo recebeu US$ 1 milhão em propina, diz delator do caso FIFA

Essa é a primeira vez que um nome ligado à Globo é apontado especificamente como recebedor de dinheiro

Essa é a primeira vez que um nome ligado à Globo é apontado especificamente como recebedor de dinheiro Da Redação* Eladio Rodriguez, ex-dirigente da empresa argentina Torneos, que tinha os direitos de eventos como Libertadores e Sul-Americana, disse que pagou US$ 1 milhão a Marcelo Campos Pinto, ex-diretor de esportes da Globo e um dos responsáveis da emissora por negociar os direitos de transmissão de eventos internacionais. Rodriguez fez acordo com o governo americano e colabora com as investigações. Segundo o delator, o nome do ex-diretor da Globo aparece com o seguinte registro: “contrato c/vehículo Marcelo C Pintos”. A data...

Essa é a primeira vez que um nome ligado à Globo é apontado especificamente como recebedor de dinheiro

Da Redação*

Eladio Rodriguez, ex-dirigente da empresa argentina Torneos, que tinha os direitos de eventos como Libertadores e Sul-Americana, disse que pagou US$ 1 milhão a Marcelo Campos Pinto, ex-diretor de esportes da Globo e um dos responsáveis da emissora por negociar os direitos de transmissão de eventos internacionais.

Rodriguez fez acordo com o governo americano e colabora com as investigações. Segundo o delator, o nome do ex-diretor da Globo aparece com o seguinte registro: “contrato c/vehículo Marcelo C Pintos”. A data do pagamento de US$ 1 milhão é 9 de dezembro de 2013.

O dinheiro partiu de uma conta secreta na Suíça, de nome Arcos, usada para distribuir propina e bônus.

Em nota ao BuzzFeed News, a Globo afirmou que “nunca teve conhecimento de tal pagamento”. A emissora acrescentou que, “caso tal pagamento tenha ocorrido, foi, evidentemente, contrário aos interesses da empresa” (Leia a íntegra abaixo).

No depoimento que presta à Justiça, o delator não explicou qual o contexto do pagamento.

Veja também:  TJ mantém sentença de primeira instância e Fórum vence ação contra ministro do Meio Ambiente

O delator apresentou informações que dão a entender que o pagamento de US$ 1 milhão ao ex-diretor da Globo foi precedido de um depósito de US$ 10 milhões vindo da emissora.

Essa é a primeira vez que um nome ligado à Globo é apontado especificamente como recebedor de dinheiro.

Marcelo Campos Pinto é figura central no caso que cita a TV Globo. Isso porque, segundo outro delator, Campos Pinto participou de um jantar em 2012 para o acerto da distribuição de propinas.

Essa acusação foi feita por Alejandro Burzaco, ex-presidente da Torneos e chefe de Eladio Rodriguez. Burzaco afirma que, além do dirigente da Globo, participou do jantar Marco Polo Del Nero e José Maria Marin, respectivamente o atual e o ex-presidente da CBF.

Quando o nome de Marcelo Campos Pinto surgiu, a TV Globo disse que não tolera pagamentos irregulares e que está à disposição das autoridades. Afirmou, ainda, que “em suas amplas investigações internas, apurou que jamais realizou pagamentos que não os previstos nos contratos”.

Veja também:  Globo defende a Lava-Jato e "empata" o jogo

Leia a íntegra da nota da Globo

Sobre a afirmação de uma testemunha no julgamento que acontece em Nova York, de que o ex-diretor do Grupo Globo, Marcelo de Campos Pinto, recebeu em 2013 pagamento de uma empresa do Grupo Torneos y Competencias, que atua na área de marketing esportivo, o Grupo Globo esclarece que nunca teve conhecimento de tal pagamento. Caso tal pagamento tenha ocorrido, foi, evidentemente, contrário aos interesses da empresa. O Grupo Globo reafirma que não tolera nem paga propina.

*Com informações do BuzzFeed

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum