Imprensa livre e independente
06 de fevereiro de 2015, 09h32

Ex-gerente da Petrobras diz que começou a receber propina durante governo FHC

Pedro Barusco afirmou à Polícia Federal que fazia negócios ilícitos com a empresa holandesa SBM desde 1997; os pagamentos de propina, segundo ele, variavam entre US$ 25 milhões e US$ 50 milhões.

Pedro Barusco afirmou à Polícia Federal que fazia negócios ilícitos com a empresa holandesa SBM desde 1997; os pagamentos de propina, segundo ele, variavam entre US$ 25 milhões e US$ 50 milhões Por Redação* O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco contou à Polícia Federal, em depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato, sobre supostas propinas cobradas de empresas que pretendiam fechar contratos com a Petrobras. Barusco disse que começou a receber os pagamentos indevidos em 1997 ou 1998 – durante o primeiro governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No caso, a empresa que efetuava os pagamentos era a holandesa SBM, quando o funcionário...

Pedro Barusco afirmou à Polícia Federal que fazia negócios ilícitos com a empresa holandesa SBM desde 1997; os pagamentos de propina, segundo ele, variavam entre US$ 25 milhões e US$ 50 milhões

Por Redação*

O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco contou à Polícia Federal, em depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato, sobre supostas propinas cobradas de empresas que pretendiam fechar contratos com a Petrobras. Barusco disse que começou a receber os pagamentos indevidos em 1997 ou 1998 – durante o primeiro governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No caso, a empresa que efetuava os pagamentos era a holandesa SBM, quando o funcionário ocupava o cargo de gerente de Tecnologia de Instalações.

Barusco afirmou aos investigadores que mantinha uma relação próxima com Júlio Faerman, representante da SBM, e que a iniciativa de fazer negócios com cobrança de propina surgiu de ambas as partes. Os pagamentos, segundo o ex-gerente, variavam entre US$ 25 milhões e US$ 50 milhões e um deles dizia respeito ao fornecimento de um navio à Transpetro.

Veja também:  Delegado da PF teria tentado obstruir investigações sobre o assassinato de Marielle Franco

As declarações foram divulgadas após decisão do juiz federal Sérgio Moro de retirar o sigilo das investigações da nona fase da Operação Lava Jato, iniciada na quinta-feira (5).

* Com informações da Agência Brasil

Foto de capa: Divulgação

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum