27 de setembro de 2018, 07h22

Ex-mulher de Bolsonaro dizia: “minha cabeça vale R$ 50 mil”, segundo testemunhas

Uma das brasileiras ouvidas, confirmou as ameaças e disse que "todo mundo aqui em Oslo sabe que o discurso dela era: estou aqui por medo do meu ex-marido"

Ana Cristina Valle, ex-mulher de Bolsonaro (Reprodução/Youtube)
Reportagem de Thais Arbex, na Folha de São Paulo desta quinta-feira (27), ouviu cinco brasileiros que conviveram na Noruega com Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), e confirmaram o relato de que ela sofria ameaças do militar da reserva. Segundo a reportagem, Ana Valle repetia a todos que conhecia: “minha cabeça vale R$ 50 mil”. O caso foi revelado pelo jornal nesta terça-feira (25). A Folha teve acesso a um telegrama reservado do Itamaraty, órgão chefiado pelo tucano Aloysio Nunes, em que a ex-esposa de Bolsonaro, Ana Cristina Valle, relata ter saído do país, em 2009, por...

Reportagem de Thais Arbex, na Folha de São Paulo desta quinta-feira (27), ouviu cinco brasileiros que conviveram na Noruega com Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), e confirmaram o relato de que ela sofria ameaças do militar da reserva. Segundo a reportagem, Ana Valle repetia a todos que conhecia: “minha cabeça vale R$ 50 mil”.

O caso foi revelado pelo jornal nesta terça-feira (25). A Folha teve acesso a um telegrama reservado do Itamaraty, órgão chefiado pelo tucano Aloysio Nunes, em que a ex-esposa de Bolsonaro, Ana Cristina Valle, relata ter saído do país, em 2009, por conta de supostas ameaças de morte do então deputado federal. Em vídeo, Ana Valle – que hoje utiliza o sobrenome Bolsonaro na campanha a deputada federal pelo Podemos, negou ter sido ameaçada de morte pelo ex-marido.

Na reportagem desta sexta-feira, Simone Afonso, uma das brasileiras ouvidas, confirmou as ameaças e disse que “todo mundo aqui em Oslo sabe que o discurso dela era: estou aqui por medo do meu ex-marido”. “E se você quiser, a gente pode fazer uma lista de pessoas daqui que sabem dessa história”, disse Simone à repórter.

Leia a reportagem na íntegra.