Imprensa livre e independente
01 de maio de 2015, 11h26

Facebook censura posts sobre agressões da PM contra os professores no Paraná

Diversas postagens contendo fotos ou vídeos de professores agredidos pela Polícia Militar paranaense simplesmente desapareceram da rede social; um blog da Fórum, inclusive, está totalmente bloqueado para fazer postagens. Facebook fala em "erro no sistema"

Diversas postagens contendo fotos ou vídeos de professores agredidos pela Polícia Militar paranaense simplesmente desapareceram da rede social; um blog da Fórum, inclusive, está totalmente bloqueado para fazer postagens. Facebook fala em “erro no sistema” Por Redação  Um dos principais meios de divulgação de conteúdo na rede, o Facebook, está dificultando o trabalho de disseminação de informação sobre o que aconteceu esta semana no Paraná. Uma série de usuários e blogueiros relataram que tiveram suas publicações – todas contendo fotos ou vídeos de professores agredidos pela Polícia Militar paranaense – ocultadas ou simplesmente excluídas. Um desses bloqueios aconteceu, inclusive, com...

Diversas postagens contendo fotos ou vídeos de professores agredidos pela Polícia Militar paranaense simplesmente desapareceram da rede social; um blog da Fórum, inclusive, está totalmente bloqueado para fazer postagens. Facebook fala em “erro no sistema”

Por Redação 

Um dos principais meios de divulgação de conteúdo na rede, o Facebook, está dificultando o trabalho de disseminação de informação sobre o que aconteceu esta semana no Paraná. Uma série de usuários e blogueiros relataram que tiveram suas publicações – todas contendo fotos ou vídeos de professores agredidos pela Polícia Militar paranaense – ocultadas ou simplesmente excluídas.

Um desses bloqueios aconteceu, inclusive, com a colunista da Fórum Jarid Arraes. Um post em seu blog “Questão de Gênero”, intitulado “Com sangue de professor não se escreve educação”, sumiu completamente da rede social. Publicado na última quinta-feira (30), a publicação havia sido postada no Facebook da Fórum, em grupos de discussão e na própria timeline da colunista. Todos os posts foram excluídos.

Veja também:  Rafael Correa ataca o Facebook e se registra no VK, versão russa da rede social

Como se não bastasse a censura a um texto em específico – que tratava da violência policial para com os servidores da educação – a empresa de Zuckerberg agora bloqueia toda e qualquer postagem do blog Questão de Gênero em qualquer página do Facebook.

Outro usuário, o jornalista Pedro Venceslau, também teve seus posts sobre o tema bloqueados. Ele, no entanto, procurou a assessoria de imprensa da empresa, que se limitou a justificar os bloqueios como um “erro no sistema”. Confira abaixo a nota da empresa que responde pelo Facebook no país:

“Um erro em nosso sistema que auxilia no bloqueio links maliciosos no Facebook bloqueou algumas URLs incorretamente. Como resultado, alguns posts foram escondidos, enquanto outros foram completamente bloqueados. Resolvemos o problema e as URLs afetadas estão sendo desbloqueadas. Pedimos desculpas pelos transtornos causados”.

Nenhum destes posts, no entanto, foram desbloqueados até o momento da publicação desta nota.

Foto: reprodução/Facebook 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum