#FÓRUMCAST
29 de junho de 2018, 16h01

Família de Pinochet é obrigada a devolver mais de R$ 19 milhões por corrupção

Ditador chileno foi considerado culpado pela Justiça de desvair dinheiro; decisão da Suprema Corte não cabe mais recurso

A família do ditador Augusto Pinochet terá de devolver US$ 5,1 milhões (R$ 19,6 milhões), que estavam guardados em contas secretas ligadas a ele e que têm origem em esquemas de corrupção, que existiram durante seu governo, entre os anos de 1973 e 1990. A decisão, que não cabe mais recurso, foi da Suprema Corte do Chile, segundo a Folha de S.Paulo.

Além disso, deverão ir a leilão três veículos e 24 propriedades do ditador, que morreu em 2006. De acordo com a Justiça chilena, Pinochet e outros militares de alto escalão de seu governo desviaram juntos US$ 6,4 milhões (R$ 24,7 milhões) dos cofres chilenos. O dinheiro de Pinochet estava dividido em 125 contas do antigo Riggs Bank, que tinha sede em Washington, descobertas por acaso em 2004.

Portanto, há 14 anos, ou seja, desde a descoberta das contas, o governo chileno buscava, por intermédio da Justiça, obrigar a família de Pinochet a devolver o dinheiro, mas, ao longo desses anos, sofreu várias derrotas em manobras judiciais.